Bruno Gagliasso vai à delegacia prestar queixa de racismo contra a filha

60
Bruno Gagliasso prestou queixa na manhã desta segunda-feira (27) na Delegacia de Repressão  aos Crimes de Informática  (DRCI), na Cidade da Polícia, zona norte do Rio. Ele fez uma denúncia contra a socialite Day McCarthy, que publicou um vídeo no Instagram com ofensas racistas contra Titi, de 4 anos, filha do ator com Giovanna Ewbank.

“Ela é uma criminosa, precisa pagar pelo que ela fez. Estou aqui porque ela disse que está em outro país. Conversando com a delegada, ela disse que é muito importante fazendo isso porque é crime em qualquer lugar do mundo e ela vai responder por isso”, disse o ator na porta da delegacia.
 
Gagliasso chegou ao local por volta das 10h30 e conversou com a imprensa após duas horas de conversa com a delegada responsável. Apesar de Titi ainda não ter noção do ocorrido, ele disse que a filha vai crescer e verá isso na internet quando já tiver mais entendimento. 
 
“Mais tarde ela vai ter a força e inteligência suficiente para fazer o que estou fazendo aqui. E eu vou vir acompanhar. Não sei se vai ser a última, obviamente não será, mas ela vai ser forte, vai ser instruída a isso. Quando ela der um Google, ela vai ver o que aconteceu e vai saber que os pais dela estiveram do lado dela, os amigos tiveram do lado dela, que a sociedade esteve do lado dela e que essa criminosa foi presa, que é isso que ela precisa ser”, disse.
 
Sobre como estava se sentindo diante do racismo, ele disse: “É o que qualquer ser humano decente sentiria. Tristeza, uma sensação de impotência, covardia. É uma criança! Uma pessoa dessa não pode calar tanta gente. Penso em fazer justiça. Não é a primeira vez que estou aqui”, afirmou.
 
No vídeo, Day McCarthy se revolta afirmando que as mesmas pessoas que a criticam pela sua aparência (por não ter olhos azuis e nariz fino) vão ao Instagram de Gagliasso e Ewbank e elogiam a filha do casal, que é negra.
 
Reprodução/Instagram
 
Bruno Gagliasso posa com a filha, Titi Imagem: Reprodução/Instagram
 

Inquérito aberto

A delegada Daniela Terra, titular da DRCI, informou que o inquérito já foi aberto.
 
“Apesar de parecer que ela está fora do Brasil, a lei penal é aplicada a ela. Ela responde sim por todos os crimes cometidos contra a filha do Bruno Gagliasso. A legislação penal é a brasileira e o processo vai seguir com a ajuda do Ministério da Justiça. Precisa fazer uma carta rogatória para intimar a pessoa. Nós já temos sim o local onde ela está e estamos providenciando a intimação legal”.
 
A delegada disse que a polícia está investigando o nome real de Day McCarthy e ela não ficará impune ser for naturalizada americana. “Ela vai responder pela legislação brasileira independentemente do local que esteja. Ela vai responder pelo crime de injúria por preconceito, difamação e injúria”.
 
A pena pelo crime de injúria por preconceito varia de um a três anos de reclusão, além de outros fatos que possam agravar a pena.