Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça

Na denúncia, a PGR acusa Aécio Neves de solicitar R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos delatores da JBS.

133
11/01/2017. Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil. Senador Aécio Neves, durante coletiva após encontro com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto.
A Procuradoria-Geral da República denunciou o senador Aécio Neves ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (2/6), por corrupção passiva e obstrução de Justiça. O pedido de indiciamento partiu do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. De acordo com a PGR, os indícios dos crimes apontados foram descobertos durante a operação Patmos, que levou ao afastamento do parlamentar do cargo de senador.
 
 Além do político, também foi denunciada, Andrea Neves, irmã de Aécio; o primo, Frederico Pacheco; e o ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (PMDB-MG), Mendherson Souza Lima. Com exceção de Aécio, todos os demais denunciados nesta ação já estão presos. Um dos elementos utilizados pela procuradoria para enviar a denúncia ao STF é um áudio apresentado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, no qual ele conversa com o parlamentar.
 
Na gravação, Aécio pede R$ 2 milhões ao executivo, alegando que precisa do dinheiro para pagar advogados para se defender de acusações que ocorrem no âmbito da Operação Lava Jato. Em uma ação autorizada pela Justiça, a Polícia Federal flagrou Ricardo Saud, diretor da JBS, entregando uma parcela de R$ 500 mil ao primo de Aécio, Frederico Pacheco. Em seguida, o montante foi repassado a Mendherson de Souza Lima, assessor do senador Zeze Perrella (PMDB).
 
Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Aécio alega ser “vítima de uma armação. “O tempo permitirá aos brasileiros conhecer a verdade dos fatos e fazer ao final um julgamento justo. Nessa história, os criminosos não sou eu nem meus familiares. Os criminosos são aqueles que se enriqueceram às custas do dinheiro público e que agora, nesse instante, lá no exterior, zombam dos brasileiros com os inacreditáveis benefícios que obtiveram”, argumenta o senador afastado.