Polícia reabre investigações da morte de padre paraibano

84

Em vídeo divulgado em seu perfil no Facebook nesta segunda-feira, 6, o deputado federal Luiz Couto (PT-PB) registrou a providência tomada pelo secretário de Segurança e Defesa Social do Estado da Paraíba de reabrir as investigações relativas ao assassinato do Padre Pedro Gomes, ocorrido em Borborema. Uma nova equipe foi designada para apurar os fatos depois que Couto intermediou o contato da família da vítima com o secretário. Na conversa, foram entregues dados que apontam a existência de um empréstimo de R$ 50 mil feito em nome do religioso para uma terceira pessoa que não honrou a dívida e estava sendo cobrada por Pedro. Os parentes do pároco acreditam que esse elemento pode ser crucial para desvendar o real motivo do crime.

“Nós levamos o relatório ao secretário junto com a família dele. A mãe do padre, dona Creuza, disse que queria a verdade e justiça para o filho. Esperamos que essa investigação possa desvendar a questão do empréstimo que o Padre Pedro estava cobrando a uma pessoa próxima. É preciso ouvir todas as pessoas, desde um adolescente que foi apreendido e um homem por nome de Raul, além de outras pessoas citadas pela família do padre. Não podemos aceitar informações desencontradas. Queremos uma investigação com profundidade que o laudo cadavérico da vítima conste no processo, o que não aconteceu ainda. Inclusive, cinco dias depois foi encontrada uma faca ensanguentada e amarrada debaixo de uma pia. Significa que a perícia não foi bem feita”, argumentou Couto.

O deputado garantiu que permanecerá buscando a verdade em relação ao crime do qual foi vítima o Padre Pedro.

No dia 23 de agosto, por volta das 22h, um adolescente e outro jovem, maior de idade, tentaram roubar uma quantia em dinheiro guardada na residência da vítima. O padre Pedro Gomes Bezerra foi morto com pelo menos 29 golpes de faca e seu corpo deixado enrolado em um lençol na casa paroquial.