NORDESTEPOLÍCIA

Secretário de Segurança da Paraíba propõe união das polícias do Nordeste para combater quadrilhas que explodem bancos

No sentido de intensificar o combate às quadrilhas que explodem agências bancárias no Nordeste, o secretário de Segurança do Estado da Paraíba, Cláudio Lima, propôs a unificação das forças policiais da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte para combater essas quadrilhas, uma vez que seus integrantes estão sempre migrando entre os estados vizinhos.

Por outro lado, a assessoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba revelou ontem que os banqueiros não investem em segurança particular porque tudo que é roubado das agências já está assegurado.

No ano passado fugiram do sistema prisional do Rio Grande do Norte aproximadamente 500 presos e, este ano, 290. Eles acabam migrando para os estados vizinhos, a exemplo da Paraíba e Pernambuco, para praticar explosões em bancos

“Precisamos dar uma resposta urgente a essas ações criminosas, que acontecem não só na Paraíba, mas em todo o País, e para isso também precisamos de ações conjuntas com os bancos. Não podemos culpar só as agências, nem tão pouco o trabalho da polícia, porque a nossa legislação favorece o retorno dos assaltantes às ruas em pouco tempo”, afirmou o secretário.

Ele disse que na explosão que aconteceu na madrugada da última quarta-feira no município de Caaporã, a polícia já identificou que um dos veículos utilizados na ação foi roubado da cidade de Natal (RN). Cláudio Lima informou que já marcou um encontro com o secretário de Segurança do Rio Grande do Norte, para que possam ser tratadas ações conjuntas no sentido de que os estados do Nordeste possam atuar de forma conjunta no combate à criminalidade.

Cláudio Lima lembrou que no ano passado fugiram do sistema prisional do Estado do Rio Grande do Norte, aproximadamente 500 pessoas e, este ano, 290 presos e eles acabam migrando para os estados vizinhos, a exemplo da Paraíba e Pernambuco, para praticarem explosões em agências bancárias.

Porém, mesmo com o crescente número de ações criminosas às agências bancárias, o secretário lembrou que em 2012 a Polícia da Paraíba prendeu mais de 80 criminosos, e em 2015, 40 pessoas envolvidas com explosões bancárias. Este ano, já chega a 24 o número de pessoas presas na Paraíba por envolvimento com explosões bancárias.

Cláudio Lima reconhece que esse trabalho não é suficiente, mas a polícia paraibana continua trabalhando muito para combater essas ações criminosas – Assessoria.

Portal Carlos Magno

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar