Sobe para 70 o número de suspeitos de participar de fraudes em concursos e vestibulares

87

Não apenas concursos públicos, mas também ingresso em universidades estão entre os alvos da organização criminosa que burlava o ingresso nessas instituições. Pelo menos 70 certames foram identificados pela Polícia Civil da Paraíba como suspeitos de terem sido violados por meio de fraudes.

Até esta segunda-feira (15), a Polícia Civil da Paraíba havia contabilizado pelo menos 500 aprovados através da venda de gabaritos. As empresas organizadoras, conforme a polícia, estaria isenta de suspeitas, já que a atuação da quadrilha girava, principalmente, em torno de pontos eletrônicos e cooptação de professores para responder as provas em tempo real.

A investigação que culminou na Operação Gabarito, deflagrada no domingo, dia 07 de maio de 2017, começou a partir de uma denúncia anônima. Até a sexta-feira (13), 25 pessoas já tinham sido presas, entre policiais militares, agentes do Detran, policiais rodoviários federais, estudante de medicina, entre outros, todos beneficiados por meio da fraude.

Conforme a polícia, o grupo contava até com uma assessoria jurídica, que era acionada em casos de candidatos que tivessem problemas com desclassificações. A Corregedoria da Polícia Militar informou que irá abrir uma sindicância e não descarta afastar todos os envolvidos.

O secretário de Segurança de João Pessoa, Geraldo Amorim, afirmou que também afastará todos os servidores que a polícia comprovar que ingressar na Guarda Municipal por meio de fraude. As outras instituições também já se prontificaram a, assim que obtiverem as provas, tomar as medidas cabíveis, conforme decisão judicial.

O assessor jurídico do órgão, José Serpa, informou que o Detran vai esperar a finalização do inquérito policial e que caso a fraude na aprovação de candidatos seja comprovada, as medidas cabíveis vão ser tomadas para o afastamento dos envolvidos no esquema fraudava concursos

As fraudes começaram em 2005, e mais de 500 pessoas já foram beneficiadas com o esquema em concursos na Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Piauí. O valor pago pelas pessoas para o grupo já acumulava pelo menos R$ 18 milhões.

Na coletiva desta segunda-feira (15) foram apresentados os seis envolvidos detidos na última sexta-feira (12), são eles:

Luís Paulo da Silva dos Santos, que passou em vários concursos. Ele foi preso em Recife

Diones Leite, funcionário concursado do Detran da Paraíba. Era agente de vistoria.

Alexandro Camilo de Sousa. Ele trabalhava no IBGE, tendo o sido o quarto colocado no concurso do ano pasado.

Dayane Nascimento. Ela passou em dois concursos. Um em Bayeux e outro em Santa Rita. Ela era casa com Vicente, apontado como um dos principais organizadores do esquema.

Segundo a Polícia, ela também é apontada como atuante da quadrilha que se beneficiava por fraudes em concursos.

Também foram detidos dois policiais militares: Poliana de Alencar (citada como um dos membros da quadrilha) e o Sérgio Firmimo da Silva.

Até agora foram 25 os presos na Operação Gabarito.