Connect with us

SAÚDE

40 tratamentos naturais contra o câncer

Publicado

em

Pela medicina natural, para restabelecer o organismo atacado por um câncer, é preciso dieta*, limpeza e suplementação alimentar.

Além disso, depois que todos os sintomas desaparecem, deve-se continuar a dieta rigorosa por pelo menos dois meses e fazer uma dieta menos restrita por um ano para assegurar que todas as células cancerosas estão mortas.

Depois disso, deve-se fazer um plano de prevenção de câncer para toda a vida.

Atenção!

As sugestões aqui contidas não substituem o acompanhamento de um profissional sério e competente.

Elas servem apenas como orientação e apresentação de tratamentos alternativos.

*Veja uma sugestão de dieta de purificação do sangue aqui

ERVAS E SUPLEMENTOS

1. Abacate
Fonte do potente antioxidante luteína, que protege o sistema cardiovascular de aterosclerose (ou endurecimento das artérias) e previne câncer de próstata.

2. Alfafa (Medicago sativa)
Contém grande quantidade de clorofila, betacaroteno, vitamina E e o aminoácido L-canavanina, que é antibacteriano, antiviral e antitumoral.

3. Algas (como clorela e spirulina)

4. Alho

5. Aloe vera (babosa)

6. Antioxidantes
Abuse dos alimentos antioxidantes, ricos em vitamina C, vitamina E e betacaroteno, como cenoura, beterraba e folhas em geral.

7. Arginina / L-arginina (aminoácido)
A arginina contribui significativamente para a função imunológica, aumentando os níveis de glóbulos brancos.

8. Artemisina
É uma substância extraída da artemísia (Artemisia annua), muito eficiente também contra a malária.

9. Avelós
Veja matéria aqui

Observação: Para evitar que o avelós irrite os rins, deve-se tomar doses extras de vitamina C natural.

10. Auto-hemoterapia

11. Azeite de oliva

12. Betacaroteno
Esse carotenoide mata células de leucemia.

13. Cenoura
A cenoura é útil por ser rica em carotenoides.

14. Chá-verde
Excelente antioxidante.

15. Coenzima Q10
Veja matéria aqui

16. Cogumelo-do-sol

O agaricus contém polissacarídeos que podem destruir ou prevenir a proliferação das células cancerosas.
17. Colonterapia

18. Confrei (Symphytum officinale)

19. Cura do girassol:
Veja matéria aqui

20. Cura do limão
Veja matéria aqui 

21. Cúrcuma

22. Deidroepiandrosterona (DHEA)
O DHEA serve como matéria-prima para a fabricação de todos os outros hormônios importantes secretados pela glândula suprarrenal – inclusive o hormônio do estresse.

23. Dieta Budwig
A Dra. Budwig criou uma dieta que combina óleo de linhaça e queijo cottage. O tratamento, aliado a uma dieta rigorosa, curou milhares de pacientes com câncer.
Veja matéria aqui

24. Equinácea

25. Extrato de semente de uva (Vitis vinifera)
Atua como antioxidante, protegendo as células contra os radicais livres.

Veja matéria aqui

26. Graviola
Veja matéria aqui

27. Ipê-roxo

28. Limpeza do fígado e do intestino
Veja matéria aqui

29. Melão-amargo (Momordica charantia)
Também conhecido como melão-de-são-caetano, estimula a liberação de insulina e bloqueia a formação de glicose no sangue, o que é útil no tratamento de diabete, psoríase, câncer, infecções, dor e complicações neurológicas, além de retardar o aparecimento de catarata e retinopatia e inibir o vírus da aids.

30. Óleo de orégano
Veja matéria aqui

31. Óleo extravirgem de coco

32. Ômega 3

33. Pau-pereira
Estudos mostram que essa erva impede a proliferação do HIV, herpes e câncer.

34. Pólen
O pólen contém um princípio anticancerígeno, por isso deve ser adicionado aos alimentos.

35. Própolis
A própolis contém todos os produtos químicos, semelhante a um medicamento utilizado para impedir o crescimento de células cancerígenas.

36. Raiz de bardana (Arctium lappa)
A bardana contém carboidratos, mucilagem, amidos e alguns açúcares.

Veja matéria aqui

37. Raiz de chicória
A raiz de chicória contém um carboidrato anticâncer chamado inulina.

38. Selênio

39. Suco de beterraba
Previne mutações de células que comumente levam ao câncer. O suco pode ser misturado com outros vegetais ou suco de maçã.

40. Unha-de-gato
Quando administrada a pessoas com câncer, repara danos do DNA, além de melhorar o sistema imunológico.

Veja matéria aqui

Continue lendo

SAÚDE

Quatro sinais de deficiência em vitamina D

Publicado

em

Fique atento.

A vitamina D, ou a vitamina ‘do sol’, é essencial para o bom funcionamento do corpo. Esta vitamina é obtida principalmente através da exposição ao sol, embora os suplementos dietéticos e certos alimentos também possam ser fontes do nutriente.

Assim, deve ficar atento a estes quatro sinais de deficiência em vitamina D:

    1. A vitamina D desempenha um papel na função imunológica. Um dos sintomas mais comuns da sua deficiência é um risco maior de doenças ou infecções.

    2. A fadiga e o cansaço excessivos podem ser um sinal de deficiência de vitamina D. Tomar suplementos pode ajudar a melhorar os níveis de energia.

    3. Níveis baixos de vitamina D no sangue podem ser uma causa ou um fator contribuinte para dores nos ossos e na região lombar.

    4. A depressão está associada a baixos níveis de vitamina D e alguns estudos descobriram que a suplementação melhora o humor.
  1.  
      POR NMBR

Continue lendo

SAÚDE

Infectologistas recomendam suspensão de bebida alcoólica 14 dias antes da vacinação

Publicado

em

O consumo de álcool e a vacina não combinam. Com a campanha de imunização contra a Covid-19 em andamento, os especialistas alertam para alguns cuidados que devem ser tomados antes e depois de receber a dose para não interferir na resposta imune contra o vírus. O consumo de bebidas alcoólicas precisa ser evitado para garantir a eficácia do imunizante.

O médico infectologista e diretor do Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, Fernando Chagas, explicou que a bebida alcoólica não é recomendável para quem vai se vacinar contra a Covid-19.

O médico explicou que o álcool atrapalha a ação do linfócito T, uma célula muito importante na ação contra o coronavírus. “É importante dar uma pausa de pelo menos 14 dias antes da vacina e até quatro semanas depois da segunda dose”, explica o infectologista.

Conforme observou Fernando Chagas  o álcool também reflete na diminuição da imunidade e na redução da criação de anticorpos, deixando o paciente exposto, mesmo vacinado. Ele esclarece quais são as recomendações para alguns outros grupos.

De acordo com Fernando Chagas, a quimioterapia atrapalha muito a imunidade do paciente, dependendo do tipo de medicamento e do tempo de tratamento. Quando estiver perto do período de vacinação, o médico sugere uma visita ao oncologista para tratar sobre a liberação para receber a primeira dose.

Uma pesquisa divulgada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia do Conselho Filipino para Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, aponta que beber demais pode afetar a resposta do corpo e diminuir a eficácia das vacinas contra a covid-19 no indivíduo.
Além da diminuição do grau de eficácia, o consumo de álcool também pode tornar a duração da imunidade menor, o que pode fazer com que sejam necessárias doses de reforço após as duas primeiras.

Desde que as primeiras doses começaram a ser aplicadas no Brasil, existe uma ansiedade em torno da possibilidade da retomada do “antigo normal”. Mas, apesar dos imunizantes serem importantes aliados na luta contra a pandemia, os cuidados individuais também são indispensáveis.

Segundo os infectologistas, o sistema demora pelo menos 14 dias depois da vacina para começar a produzir anticorpos, e a pessoa só fica protegida de fato depois da segunda dose caso o imunizante não seja de dose única.

PB Agora

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados