Connect with us

BRASIL

500 pessoas foram resgatadas em Mariana, dizem bombeiros

Publicado

em

A sala de apoio do Batalhão de Operações Aéreas de Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou que cerca de 500 pessoas já saíram ou foram resgatadas de Bento Rodrigues, distrito de Mariana, em Minas Gerais, atingido por dejetos de mineração depois de rompimento de barragem da empresa Samarco. O distrito tem aproximadamente 600 moradores.

Conforme os bombeiros, seis helicópteros trabalham neste momento no resgate de pessoas ilhadas e transporte de bombeiros. Um outro helicóptero está sendo usado para transporte de autoridades e técnicos de engenharia e meio ambiente para vistoria da área.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais tem a confirmação de uma pessoa morta e quatro feridas – dois adultos e duas crianças – no estouro das barragens da mineradora Samarco, no distrito de Bento Rodrigues, na cidade de Mariana. A corporação segue em busca de feridos e, desde a madrugada, resgatam pessoas que passam por um “processo de descontaminação por ferro” e estão “sendo encaminhadas para recurso hospitalar”.

Há duas frentes de trabalho neste momento, de acordo com informações da Prefeitura de Mariana. Em uma delas, os bombeiros trabalham em busca de sobreviventes e desaparecidos; na outra, são recebidos desabrigados, vítimas e doações. Ainda segundo a prefeitura, o prefeito Duarte Junior (PPS) deve convocar uma entrevista coletiva para as próximas horas.

Resgatados

Desalojados pelo mar de lama que tomou o distrito, os moradores relatam cenas de horror na hora do acidente. “Um caminhão passou buzinando feito louco, avisando que a barragem rompeu. Ele foi parando e gritando: ‘Pula! Pula!’. As pessoas foram se jogando na caçamba, uma sobre as outras”, conta a dona de casa Rosa Helena da Silva, de 46 anos, uma das vítimas abrigadas no ginásio poliesportivo da cidade. “No final, o caminhão nem estava mais parando para o pessoal entrar.”

Segundo Rosa, quando o grupo chegou a Santa Rita, um vilarejo vizinho, cerca de 60 pessoas estavam no caminhão. “Não teve aviso, não teve nada, só esse caminhão que passou buzinando. Muita gente ouviu os gritos do caminhoneiro, mas não entendeu ou não acreditou e ficou”, diz.

A dona de casa relata ter visto crianças vomitando por causa da lama com resíduos da mineradora. “Um homem estava com as duas pernas quebradas”, afirma. Os desabrigados também recebem donativos no ginásio.

“Meu filho estava de carro e nos levou até a igreja. Não sobrou nada de nossa casa”, conta a dona de casa Dirce Breta Sobrera, de 73 anos. Com um pé enfaixado, ainda atônita, ela diz que não sabe como se machucou. “Foi na correria.”

MSN

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

BRASIL

Senador Irajá Abreu é acusado de estupro por modelo em São Paulo

Publicado

em

Uma mulher de 22 anos registrou na madrugada desta segunda-feira (23) um Boletim de Ocorrência por estupro contra o senador Irajá Abreu (PSD-TO), filho da senadora Kátia Abreu (PP-TO). Em nota, o parlamentar, alega “total e plena inocência” (leia a íntegra abaixo).

De acordo com informações do jornalista José Brito, da CNN Brasil,  a vítima é uma modelo de 22 anos que pediu para ter a identidade preservada, e disse que o conheceu durante um almoço neste domingo (22), no Jockey Club. Segundo a CNN, a jovem disse à Polícia que acompanhou Irajá à casa noturna Café de La Musique com mais um amigo dele, e lá teria sido dopada, perdido a consciência e acordado em um flat, no Itaim Bibi, já sendo penetrada pelo parlamentar. 

O caso já está sendo investigado pela Polícia, que trabalha na busca por imagens de câmeras de segurança da casa noturna e do hotel. O quarto do hotel foi preservado para exame pericial.

No Boletim de Ocorrência, registrado no 14º Distrito Policial de Pinheiros, em São Paulo, a modelo diz que acordou com o investigado em cima ela, a penetrando sem preservativo, e dizendo frases como: “agora, você é minha” e “estou apaixonado”. 

“Ela relatou à polícia que ficou com medo de ele bater nela e, por isso, não resistiu ao abuso, mas pedia insistentemente para ir ao banheiro e tomar água, o que ele não deixava. Quando ela conseguiu ir ao banheiro, após dizer que estava passando mal, se trancou e começou a pedir socorro”, diz a CNN. 

Leia a seguir a íntegra da defesa do senador:

“Foi com surpresa, decepção, tristeza e indignação que tomei conhecimento do episódio infame, maldoso e traiçoeiro envolvendo a minha vida e minha dignidade.

Eu sempre pautei minha vida profissional, pública e pessoal pela ética, respeito e retidão, sendo inimaginável ser acusado de algo dessa natureza.

O fato é que, como principal interessado na revelação ampla e total de toda essa farsa, solicitei que meu advogado, Daniel Bialski, reforçasse às autoridades responsáveis pela investigação do caso que requisitassem a realização de exame de corpo delito na acusadora para comprovar a verdade.

Ressalto que compareci espontaneamente à delegacia responsável pela apuração dos fatos e pedi para ser submetido, voluntariamente, a exame de corpo de delito e toxicológico, tudo para desmistificar o quanto aleivosamente alegado.

As filmagens, demais provas e testemunhas hão de repor a verdade no seu devido lugar e vir a declarar minha total e plena inocência.

Confio na polícia e na Justiça e sei que ficará provado que jamais houve nada que possa tangenciar qualquer comportamento inapropriado de minha parte.

Lamento muito ter sido envolvido nesse enredo calunioso e difamatório que busca manchar o meu nome em função da visibilidade momentânea da função que ocupo.

Reitero que aguardarei a conclusão das investigações antes de fazer qualquer nova manifestação. Não pretendo ser atirado para essa arena sórdida. A verdade aparecerá e eu a aguardarei com serenidade.

Declaro e reitero que não cometi ilícito algum e estou à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários

Senador Irajá”

Brasil 247

Continue lendo

BRASIL

Rachadinha: Márcia Aguiar, esposa de Queiroz, recebeu mais de R$ 1 milhão em recursos desviados da Alerj

Publicado

em

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) apresentou denúncia à Justiça na qual afirma que Márcia Aguiar, esposa de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, recebeu R$ 1,1 milhão em recursos desviados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) por meio de esquema de rachadinha no gabinete do então deputado estadual Flávio.

Segundo a CNN, a denúncia dá conta de que Márcia integrava um corpo de 12 funcionários fantasmas do gabinete de Flávio Bolsonaro. Mais de R$ 868 mil administrados por Marcia, cerca de 75% do dinheiro que recebeu da Alerj, foram utilizados para alimentar a organização criminosa do parlamentar.

Segundo o MP, Marcia atuava como parte do núcleo executivo da organização criminosa. 

A defesa de Márcia Aguiar e de Queiroz afirmou “que é inverídica a acusação de desvio de valores na Alerj”, dizendo ainda que “Márcia sempre exerceu com rigor as atribuições legais dos cargos que ocupou”. Os advogados de Flávio Bolsonaro não se pronunciaram.

Em 14 de agosto, Márcia e Queiroz tiveram prisão decretada, decisão que foi revogada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que mandou o casal para o regime de prisão domiciliar. Em 2 de setembro a Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu a volta de ambos para a cadeia.

Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

MAIS LIDAS DE HOJE

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados