Connect with us

ENTRETENIMENTO

Atraso brasileiro transforma cena de amor de novela em ato de coragem

Publicado

em

De quebra de tabu em quebra de tabu, a televisão brasileira vai avançando algumas casinhas. Na noite desta terça-feira (12), pela primeira vez, uma novela exibiu uma cena de amor e sexo entre dois homens. O feito coube a “Liberdade, Liberdade”, trama da Globo escrita por Mario Teixeira e exibida no final da noite.

A partir de 23h10, por cinco minutos e quarenta segundos, Tolentino (Ricardo Pereira) e André (Caio Blat) primeiro conversaram sobre a “segunda natureza” de ambos, depois se beijaram com intensidade, tiraram a roupa, trocaram carinhos e tiveram a sua primeira noite juntos na cama.

A câmera insinuou mais do que mostrou, como faria se a cena fosse entre um homem e uma mulher. Mas foi bastante clara e forte na exposição dos sentimentos dos dois homens.

Tecnicamente, foi uma cena banal, mas pode ser considerada histórica, em um momento que o embate entre progressistas e conservadores em matéria de moral e costumes está especialmente exacerbado.

Se há algo a lamentar, é apenas o atraso brasileiro em relação a discussão sobre diversidade. Não deveria, já há muito tempo, ser motivo de comoção o que foi visto esta noite em “Liberdade, Liberdade”.

Reproduzo abaixo, o diálogo que antecedeu a cena de amor e sexo:

André: Você está melhor?
Tolentino: Não. Não estou nada bem, André. Fui humilhado mais uma vez pelo intendente.
André: Deixe o tempo vai passar. E você vai esquecer.
Tolentino: Acho que desta vez não vou esquecer, não. O intendente passa a vida toda a me espezinhar. Trata-me como um cão. Chegou o meu limite.
André: O intendente é um homem cruel. Mas você tem amigos.
Tolentino: Tenho um único amigo. Meu único amigo é você. Você, André, que é um homem sensível, você que entende os mistérios da vida, as voltas que o mundo dá, as surpresas que a vida nos reserva…
André: Surpresas sobre nós mesmos?
Tolentino: Sim. Você mesmo disse um dia. Todos nós temos uma segunda natureza, que às vezes permanece oculta.
André: Mas não para sempre.
Tolentino: Não para sempre…

UOL

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ENTRETENIMENTO

Fernando Vanucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo

Publicado

em

O apresentador e jornalista Fernando Vanucci morreu aos 69 anos, em Barueri, na Grande São Paulo, na tarde desta terça-feira (24). Vanucci deixa quatro filhos.

Segundo Fernandinho Vanucci, filho do apresentador, em 2019, o jornalista colocou um marcapasso. Nesta manhã, ele estava em casa, passou mal e foi levado para o hospital.

De acordo com informações da Guarda Civil Municipal de Barueri e do filho do apresentador, Vanucci foi levado ao Pronto-Socorro central da cidade, onde morreu.

No ano passado, Vanucci sofreu um infarto e ficou internado no Hospital Oswaldo Cruz, onde passou por uma angioplastia coronária.

Nascido em Uberaba, Vanucci começou a trabalhar em rádio ainda adolescente. Na década de 70, começou na TV Globo, em Minas Gerais, e depois foi transferido para a Globo do Rio de Janeiro. Na Globo, apresentou jornais como o Globo Esporte, RJTV, Esporte Espetacular, Gols do Fantástico, entre outros.

Desde 2014, ele atuava como editor de esportes na Rede Brasil de Televisão.

G1-SP

Continue lendo

ENTRETENIMENTO

Sérgio Mallandro cai em golpe e perde bolada após investimentos em empresa suspeita

Publicado

em

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — Contratado por uma empresa golpista, o ator Sérgio Mallandro, 65, revelou que perdeu um valor alto após fazer investimentos em uma empresa que roubou mais de R$ 170 milhões. O fato foi revelado pelo Fantástico (Globo).

Segundo ele, a empresa estava acima de qualquer suspeita. Ele não fazia a menor ideia de que se tratava de um golpe. “Nunca imaginei que poderia ter tido uma notícia dessa. Fiz investimentos e todo mês tinha relatório mostrando. Acho que eu caí na pegadinha do Mallandro. Nunca tive retorno desse dinheiro”, disse ele sem revelar a quantia.

No esquema de pirâmides financeiras, as vítimas eram atraídas com a promessa de que ganhariam lucros acima do normal em caso de grande adesão. Mas ninguém nunca ganhou.
A Polícia Civil do Rio prendeu Jonas Jaimovick no início de novembro, o dono da empresa e maior suspeito de ser o responsável pelo crime. Ele era considerado foragido desde 2019.

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados