Connect with us

ENTRETENIMENTO

Bob Dylan ganha o Prêmio Nobel de Literatura 2016

Publicado

em

O cantor e compositor americano Bob Dylan, de 75 anos, foi anunciado nesta quinta-feira (13) o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. A escolha foi divulgada em um evento no salão da Bolsa da cidade de Estocolmo, na Suécia. Além do título, o artista, que é considerado um dos maiores nomes da música do século XX, receberá 8 milhões de coras suecas (cerca de R$ 2,9 milhões).

A secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan, aclamado pelo lirismo de suas letras, foi escolhido “por criar uma nova expressão poética na tradicional canção americana”. Dentre seus temas, destacam-se religião, política, amor e a própria condição humana. Compôs clássicos como “Blowin’ in the wind”, “Subterranean homesick blues”, “Mr. tambourine man” e “Like a rolling stone”.

Ao longo de uma carreira que já dura mais de 50 anos, Dylan lançou diversos livros (veja lista abaixo). “Como artista, foi altamente versátil e trabalhou como pintor, ator e autor de roteiros”, lembrou a academia.

Embora seja reconhecido primeiramente como músico, e não como escritor, Dylan era cotado havia muitos anos para o Nobel de Literatura. Mas não estava entre os primeiros colocados nas bolsas de aposta para ano.

Tanto na música como na literatura, foi fortemente influenciado por poetas do movimento beatnik e pelos poetas modernos americanos.

Seu primeiro disco, “Bob Dylan”, é de 1962. Entre trabalhos de inéditas, coletâneas e registros de shows, foram registrados oficialmente 69 álbuns (veja lista abaixo). O mais recente é “Fallen angles”, de 2016, no qual interpreta clássicos americanos populariados opr Frank Sinatra.

Já o primeiro livro foi a coletânea de poesias experimentais “Tarantula”, de 1971. Dois anos mais tarde, saiu “Writings and drawings”, em que havia textos e desenhos. Ele é autor ainda do best-seller autobiográfico “Chronicles : Volume One.”, de 2004. A ideia inicial é que autobiografia teria outras duas continuações, que ainda não chegaram a ser editadas.

No Brasil, foram traduzidos os seguintes títulos: “Tarântula”, publicado em 1986 pela editora Brasiliense; “Crônicas – Vol.1”, publicado em 2005 pela Planeta; “Forever young”, publicado em 2009 pela Martins Fontes; e “O homem deu nome a todos os bichos”, publicado em 2012 pela Nossa Cultura.

Perfil
Nascido Robert Allen Zimmerman em 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos, Bob Dylan cresceu em uma família judaica de classe média em uma cidade mineradora. Na adolescência, tocou em diversas bandas, dedicando-se à tradição da música americana, especialmente ao folk e ao blues. Um de seus ídolos era o Woody Guthrie, um dos maiores nomes do folk.

Mais tarde, Dylan largou a faculdade e se mudou para Nova York onde se tornou famoso no início dos anos 1960, onde passou a tocar em casas de shows e cafés no famoso bairro Greewich Village.

Foi em seu segundo disco, “The freewheelin’ Bob Bylan”, de 1963, que o artista revelou seu talento como compositor – o álbum de estreia, do ano anterior, tinha somente duas canções originais. “The freewheelin'” tem a faixa que talvez seja o maior clássico de Dylan, “Blowin’ in the wind”.

Outros trabalhos marcantes foram “The times they are a-changin'”, de 1964, “Bringing It all back home”, de 1965, “Highway 61 revisited”, também de 1965, e “Blonde on Blonde”, de 1966, todos lançados em sequência. “Blood on the tracks”, de 1975, é outro dos destaques daquelas primeiras décadas.

Na turnê mundial de 1966, Bob Dylan deixou os fãs perplexos e causou polêmica ao “trair o folk”, trocando o violão pela guitarra elétrica. Chegou a ser chamado de “Judas” em razão da escolha. O material do período vai ser lançado em 36 discos na coletânea “Boby Dylan: The 1966 live recording”, prevista para novembro.

Da fase mais recente, o perfil da Academia Sueca citou como “obras-primas” os discos “”Oh mercy”, de 1989, “Time out of mind”, de 1997, e “Modern times”, de 2006.

Dez vezes vencedor do Grammy, Bob Dylan já se reinventou por diversas vezes, assumindo as identidades de desafiador do pop, estrela do rock, poeta sábio e cristão missionário – ele se converteu ao cristianismo em 1979.

Em 2004, Bob Dylan eleito pela revista americana “Rolling Stone” o segundo melhor artista de todos os tempos, atrás apenas dos Beatles.

O músico americano Bob Dylan em foto de abril de 1965, em Londres (Foto: AP/Arquivo)O músico americano Bob Dylan em foto de abril de 1965, em Londres (Foto: AP/Arquivo)

Veja, abaixo, a lista de livros de Bob Dylan:
“Bob Dylan song book” (1965)
“Bob Dylan himself: His words, his music” (1965)
“Bob Dylan: A collection” (1966)
“Bob Dylan: The Original” (1968)
“Tarântula” (1971)
“Poem to Joanie” – com introdução de A. J. Weberman (1971)
“Writings and Drawings” (1973)
“The songs of Bob Dylan: From 1966 through 1975” (1976)
“Lyrics, 1962-1985” (1985)
“Bob Dylan anthology” (1990)
“Drawn blank” (1994)
“Lyrics, 1962-1996” (1997)
“Lyrics, 1962-1999” (1999)
“O homem deu nome a todos os bichos” – ilustrado por Scott Menchin (1999)
“The definitive Bob Dylan songbook” (2001)
“Lyrics, 1962-2001” (2004)
“Crônicas – Vol.1” (2004)
“Bob Dylan: The drawn blank series” – editado por Ingrid Mössinger e Kerstin Drechsel (2007)
“Hollywood foto-rhetoric: The lost manuscript” – com fotografias de Barry Feinstein (2008)
“Lyrics” – editado por Heinrich Detering (2008)
“Forever young” – ilustrado por Paul Rogers (2008)
“Bob Dylan: The Brazil series” (2010)
“O homem deu nome a todos os bichos” – ilustrado por Jim Arnosky (2010)
“Blowin’ in the wind” – ilustrado por Jon J. Muth (2011)
“Bob Dylan: The asia series” (2011)
“Revisionist art” (2012)
“Bob Dylan: Face value – com textos de John Elderfield (2013)
“If dogs run free – ilustrado por Scott Campbell (2013)
“The lyrics : Since 1962”- editado por Christopher Ricks, Lisa Nemrow e Julie Nemrow (2014)
“If not for you” – ilustrado por David Walker (2016)

Veja, abaixo, os discos de Bob Dylan:
“Bob Dylan” (1962)
“The freewheelin’ Bob Dylan” (1963)
“The times they are a-changin'” (1964)
“Another side of Bob Dylan” (1964)
“Bringing It all back home” (1965)
“Highway 61 revisited” (1965)
“Blonde on Blonde” (1966)
“Bob Dylan’s greatest hits” (1967)
“John Wesley harding” (1968)
“Nashville skyline” (1969)
“Self portrait” (1970)
“New morning” (1970)
“Bob Dylan’s greatest hits Vol. 2” (1971)
“Pat Garrett & Billy The Kid” (1973)
“Dylan” (1973)
“Planet waves” (1974)
“Before the flood” (1974)
“Blood on the tracks” (1975)
“The basement tapes” (1975)
“Desire” (1976)
“Hard rain” (1976)
“Street legal” (1978)
“Bob Dylan at Budokan” (1978)
“Slow train coming” (1979)
“Saved” (1980)
“Shot of love” (1981)
“Infidels” (1983)
“Real live” (1984)
“Empire burlesque” (1985)
“Biograph” (1985)
“Knocked out loaded” (1986)
“Down in the groove” (1988)
“Dylan & The Dead” (1989)
“Oh mercy” (1989)
“Under the red sky” (1990)
“The bootleg series vols. 1-3: Rare and unreleased 1961-1991” (1991)
“Good as I been to you” (1992)
“World gone wrong” (1993)
“Bob Dylan’s greatest hits vol. 3” (1994)
“MTV Unplugged” (1995)
“The best of Bob Dylan” (1997)
“The songs of Jimmie Rodgers: A tribute” (1997)
“Time out of mind” (1997)
“The bootleg series, vol. 4: Bob Dylan live 1966: The ’Royal Albert Hall’ concert” (1998)
“The essential Bob Dylan” (2000)
”Love And Theft” (2001)
“The bootleg series, vol. 5: Live 1975: The Rolling Thunder Revue” (2002)
“Masked and anonymous: The soundtrack” (2003)
“Gotta serve somebody: The gospel songs of Bob Dylan” (2003)
“The bootleg series, vol. 6: Live 1964: Concert at Philharmonic Hall” (2004)
“The bootleg series, vol. 7: No direction home: The soundtrack” (2005)
“Live at the Gaslight 1962” (2005)
“Live at Carnegie Hall 1963” (2005)
“Modern times” (2006)
“The traveling Wilburys collection” (2007)
“The bootleg series, vol. 8: Tell tale signs: Rare and unreleased, 1989-2006” (2008)
“Together through life” (2009)
“Christmas in the heart” (2009)
“The original mono recordings” (2010)
“The bootleg series, vol. 9: The witmark demos: 1962-1964” (2010)
“Good rockin’ tonight: The legacy of sun” (2011)
“Timeless” (2011)
“Tempest” (2012)
“The lost notebooks of Hank Williams” (2011)
“The bootleg series, vol. 10: Another self portrait (2013)
“The bootleg series, vol. 11: The basement tapes complete” (2014)
“The bootleg Series, vol. 12: The cutting edge 1965-1966” (2015)
“Shadows in the night” (2015)
“Fallen angels” (2016)

Veja os vencedores do Nobel de Literatura dos últimos anos:
2015: Svetlana Alexiévitch (Belarus)
2014: Patrick Modiano (França)
2013: Alice Munro (Canadá)
2012: Mo Yan (China)
2011: Tomas Tranströmer (Suécia)
2010: Mario Vargas Llosa (Peru)
2009: Herta Müller (Romênia)
2008: Jean-Marie Gustave Le Clézio (França)
2007: Doris Lessing (Reino Unido)
2006: Orhan Pamuk (Turquia)
2005: Harold Pinter (Reino Unido)
2004: Elfriede Jelinek (Áustria)
2003: J. M. Coetzee (África do Sul)
2002: Imre Kertész (Hungria)

O cantor e compositor Bob Dylan, durante show no festival Vieilles Charrues em Carhaix-Plouguer, no oeste da França, em julho de 2012 (Foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)O cantor e compositor Bob Dylan, durante show no festival Vieilles Charrues em Carhaix-Plouguer, no oeste da França, em julho de 2012 (Foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)
Bob Dylan durante show no Hop Festival em Paddock Wood, na Inglaterra, em junho de 2012 (Foto: Ki Price/Reuters/Arquivo)Bob Dylan durante show no Hop Festival em Paddock Wood, na Inglaterra, em junho de 2012 (Foto: Ki Price/Reuters/Arquivo)

G1

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ENTRETENIMENTO

Filmado no sertão da Paraíba, ‘Bacurau’ é indicado ao Gotham Awards entra na corrida do Oscar

Publicado

em

O filme Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, foi indicado ao Gotham Awards 2020, na categoria Melhor Filme Internacional. 

O Gotham Awards é considerada uma premiação “termômetro” do Oscar. Com o sucesso da crítica, o filme pode representar o Brasil na premiação da Academia.

O longa foi filmado numa região do sertão entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte, e conta com seis atores da Paraíba no elenco.

O filme vem acumulando premiações, tendo sido laureado com o prêmio do júri em Cannes em 2019, além de vencer o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e o prêmio de melhor filme no 29.º Festival de Cinema Fantástico da Universidade de Málaga.

Confira abaixo a sinopse e o trailer do filme:

Num futuro próximo, Bacurau, uma pequena cidade brasileira no oeste de Pernambuco, lamenta a perda de sua matriarca, Carmelita (Lia de Itamaracá), que viveu até os 94 anos. Dias depois, seus habitantes aos poucos, percebem algo estranho acontecer na região: enquanto drones passeiam pelos céus, estrangeiros chegam pela primeira vez na cidade com planos de exterminar toda a população ali residente, posteriormente carros se tornam vítimas de tiros e cadáveres começam a aparecer, os habitantes chegam à conclusão de que estão sendo atacados. Resta identificar o inimigo e criar coletivamente um meio de defesa, os acontecimentos fazem com que os habitantes se unam para resistir aos problemas.

Confira abaixo a lista de indicados ao Gotham Awards 2020:

Melhor Filme

  • “A Assistente”
  • “First Cow”
  • “Never Rarely Sometimes Always”
  • “Nomadland”
  • “Relic”

Melhor Documentário

  • “76 Days”
  • “City Hall”
  • “Our Time Machine”
  • “A Thousand Cuts”
  • “Time”

Melhor Filme Internacional

  • “Bacurau”
  • “Uma Mulher Alta” (“Beanpole”)
  • “Lindinhas” (“Mignonnes”)
  • “Identifying Features” (“Sin Señas Particulares”
  • “Martin Eden”
  • “Wolfwalkers”

Diretor Estreante

  • Radha Blank por “The Forty-Year-Old Version” (Netflix)
  • Channing Godfrey Peoples por “Miss Juneteenth” (Vertical Entertainment)
  • Alex Thompson por “Saint Frances” (Oscilloscope Laboratories)
  • Carlo Mirabella-Davis por “Swallow” (IFC Films)
  • Andrew Patterson por “The Vast of Night” (Amazon Studios)

Melhor Roteiro

  • “Bad Education”, Mike Makowsky (HBO)
  • “First Cow”, Jon Raymond, Kelly Reichardt (A24)
  • “Fourteen”, Dan Sallitt (Grasshopper Film)
  • “The Vast of Night”, James Montague, Craig Sanger (Amazon Studios)

Melhor Ator

  • Riz Ahmed em “Sound of Metal” (Amazon Studios)
  • Chadwick Boseman em “A Voz Suprema do Blues” (Netflix)
  • Jude Law em “The Nest” (IFC Films)
  • John Magaro em “First Cow” (A24)
  • Jesse Plemons em “I’m Thinking of Ending Things” (Netflix)

Melhor Atriz

  • Nicole Beharie em “Miss Juneteenth” (Vertical Entertainment)
  • Jessie Buckley em “I’m Thinking of Ending Things” (Netflix)
  • Yuh-Jung Youn em “Minari” (A24)
  • Carrie Coon em “The Nest” (IFC Films)
  • Frances McDormand em “Nomadland” (Searchlight Pictures)

Melhor Ator ou Atriz Estreante

  • Jasmine Batchelor em “The Surrogate” (Monument Releasing)
  • Kingsley Ben-Adir em “One Night in Miami…” (Amazon Studios)
  • Sidney Flanigan em “Never Rarely Sometimes Always” (Focus Features)
  • Orion Lee em “First Cow” (A24)
  • Kelly O’Sullivan em “Saint Frances” (Oscilloscope Laboratories)

Melhor Série Estreante – Formato Longo (Mais de 40 minutos)

  • “The Great”
  • “Immigration Nation”
  • “P-Valley”
  • “Unorthodox”
  • “Watchmen”

Melhor Série Estreante – Formato Curto (Menos de 40 minutos)

  • “Betty”
  • “Dave”
  • “I May Destroy You”
  • “Taste the Nation”
  • “Work in Progress”

Por Philippe Ramalho

Continue lendo

ENTRETENIMENTO

José de Abreu diz que será candidato à presidência em 2022

Publicado

em

O ator José de Abreu, da Rede Globo, anunciou em sua conta no Twitter que pretende se candidatar à presidência da república em 2022.

“Comunico aos companheiros, amigos, seguidores e jornalistas que comecei a conversar com políticos, empresários e colegas com vistas ao lançamento de minha candidatura a Presidente da República em 2022. ‘Um global de esquerda contra um global de direita'”, escreveu.

Apesar de não ter citado nomes, o ator faz uma referência ao apresentador Luciano Huck, também da Globo, que já está se articulando para lançar uma provável candidatura à presidência. O apresentador se reuniu nas última semanas com o ex-ministro da justiça e ex-juiz federal Sérgio Moro.

José de Abreu não deu detalhes e não citou o partido pelo qual pretende concorrer. Ele é filiado ao PT desde 2013, mas não se sabe se ele continua no partido. Segundo a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o ator já chegou a pedir conselhos a Lula e José Dirceu sobre uma possível candidatura a deputado.

 

 

Continue lendo

Facebook

Publicidade

MAIS LIDAS DE HOJE

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados