Connect with us

PARAÍBA

Bruno Cunha Lima chama de “absurdas” mudanças no pacote anticorrupção

Publicado

em

A aprovação do projeto de lei (PL) 4.850/16, que trata das medidas de combate à corrupção modificada no seu texto-base (com propostas do Ministério Público Federal), pela Câmara dos Deputados foi considerada um absurdo pelo deputado estadual Bruno Cunha Lima (PSDB). Segundo Bruno, a retaliação ao pacote de combate à corrupção caminha no sentido contrário ao que a sociedade brasileira deseja e que o posicionamento de parlamentares será cobrado nas urnas.

“Acho um absurdo qualquer tentativa de barrar, não mais as 10 medidas, porque essas 10 foram transformadas em 15 e depois em outras medidas anticorrupção, partindo de qualquer partido que seja”, avaliou o tucano, nesta quarta-feira (30). Bruno Cunha Lima destacou que a sociedade brasileira tem dito, repedida vezes, em manifestações, durante as eleições e nas redes sociais que não aceita a corrupção não só de um partido, mas de forma generalizada.

Ético – Para o deputado estadual, qualquer medida que venha cecear a Operação Lava Jato, a atuação de Ministério Público ou da Justiça é reprovável sob o ponto de vista ético. No entanto, Bruno Cunha Lima defende a isonomia no julgamento de atos de representantes públicos.  “Todos devem responder pelos seus atos, sejam promotores, juízes, ministros, deputados, assim como as demais pessoas”, afirmou ele.

Bruno Cunha Lima lembrou inclusive que os atos dos parlamentares da bancada paraibana, que votaram a favor do projeto de lei (PL) 4.850/16 modificado, também serão julgados pela sociedade, especialmente, nas próximas eleições. “Se a votação acontecesse na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), eu votaria contra o projeto”, declarou. Da Paraíba, apenas os deputados federais Romulo Gouveia (PSD)  e Pedro Cunha Lima (PSDB) votaram contra o conjunto de medidas de combate à corrupção propostas pelo Ministério Público Federal, que recebeu significativas modificações na Câmara Federal.

O texto foi aprovado pela Câmara na madrugada desta quarta-feira (30). Com a aprovação, o projeto segue agora para análise do Senado.

ClickPB

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PARAÍBA

Paraíba registra 1.144 casos e 30 óbitos por Covid-19 em 24h; total de mortos ultrapassa 4.500 e 222 mil infectados

Publicado

em

A Paraíba registrou, nesta segunda (1º), 1.144 casos de Covid- 19. Também foram confirmados 30 novos óbitos desde a última atualização, sendo 16 deles nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde ao ClickPB desde a última atualização, 41 (3,58%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.272 (96,41%) são leves.

Números Totais:

  • Casos Confirmados: 222.259
  • Óbitos Confirmados: 4.526
  • Casos Recuperados: 158.550 
  • Testes Realizados: 656.430

Agora, a Paraíba totaliza 222.259 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 656.430 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Os óbitos ocorreram entre os dias 26 de fevereiro e 1º de março de 2021, sendo 16 deles em hospitais privados, um em residência e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 4.526 mortes. O boletim registra ainda um total de 158.550 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 647 novos casos, o que corresponde a 56,55% dos casos registrados neste domingo. São eles: João Pessoa, com 469 novos casos, totalizando 59.203; Campina Grande, com 80 novos casos, totalizando 20.515; Cajazeiras, com 36 novos casos, totalizando 4.791; Santa Rita, com 32 novos casos, totalizando 5.412; Bayeux, com 30 novos casos, totalizando 4.280.

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 01/03/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta segunda, 206 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 25 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Belém (1), Borborema (1), Campina Grande (1), Jacaraú (1), João Pessoa (19), Pirpirituba (1), Princesa Isabel (1), Sapé (1), Serra Branca (1), Sertãozinho (1) e Triunfo (1). As vítimas são 15 homens e 15 mulheres, com idades entre 25 e 97 anos. Hipertensão foi a comorbidade mais freqüente e três não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 72%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 87%. Em Campina Grande estão ocupados 64% dos leitos de UTI adulto e no sertão 69% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 54 pacientes foram internados nas últimas 24h.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 147.955 doses. Até o momento, 112.401 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 35.554 com a segunda dose da vacina. 

Continue lendo

PARAÍBA

Padre na Paraíba chama Jair Bolsonaro de ‘imoral’ e ‘genocida’ diante de postura na pandemia: “alguém que tem o prazer de matar”

Publicado

em

O pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, no município de Guarabira, no Brejo paraibano, padre Adauto Tavares Gomes, chamou a atenção da população em geral e dos fieis ao fazer duras críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro. O religioso, em sua homilia dominical, chamou o chefe do Executivo de ‘imoral’ e de ‘genocida’ diante da postura que tem tomado frente a pandemia do coronavírus no Brasil.

De acordo com o padre, casos referente às aglomerações do Carnaval ainda não foram contabilizados, mas frisou o aumento diário da doença em todo o País. “Segundo a Secretária de Saúde do Estado, a leva do Carnaval ainda não chegou. Vai chegar pesado agora em março. Eu espero que não chegue a um lockdown, mas às vezes é necessário”, comentou, como o ClickPB apurou.

Além disso, reclamou do descumprimento da população na questão do isolamento social e destacou que não queria ser militar, “pois se e eu fosse militar, um ‘cabinha’ que botasse uma mesa na rua eu prendia na hora, levava para a cadeia. Vai ficar aglomerado lá na cadeia, mas no meio da rua não. Tem que respeitar”.

Nesse momento, o padre pontuou que o mundo vive a pandemia e esboçou às críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que desde o início da pandemia vem negando a existência da doença, e ignorando os riscos de contaminação. “Já basta aquele desorientado do presidente da República, que não tem moral. É um imoral. A palavra é essa. O presidente da República é um imoral. O homem que não tem moral nenhuma. É um irresponsável. É que estou com vontade de dizer outra coisa, mas não vou dizer não, que é pecado dizer a missa”, criticou.

O sacerdote afirmou que Bolsonaro não tem responsabilidade com a vida da população. Podemos dizer que é um genocida: alguém que tem o prazer de matar”, pois “sai na rua sem máscara, aglomerando”. Além disso, Adauto Tavares acrescentou que, quem vota “nele também é sem moral”. 

Confira o que disse o padre em sua homilia:

 

 

ClickPB

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados