Connect with us

CURIMATAÚ

Candidata se elegeu por dois votos de diferença em Algodão de Jandaíra

Publicado

em

Em Algodão de Jandaíra, Cícero de Preto (PSB), quase se tornava prefeito. Quase. O problema é que sua adversária, Maricleide (PSD), foi um pouco mais “eficiente”, teve mais poder de convencimento e conseguiu dois votos salvadores. Resultado: é a nova gestora do município de pouco mais de 2.366 habitantes, segundo última contagem do IBGE.

Mericleide teve 1.234 votos contra 1.232 de Cícero. Outra curiosidade de lá é que o número de eleitores é maior que o número de habitantes. A explicação é a de que muitos eleitores moram nas cidades vizinhas, como Solânea, Casserengue, Remígio, Barra de Santa Rosa, mas votam em Algodão de Jandaíra.

Outras disputas acirradas

Em Nazarezinho, a disputa também foi de tirar o fôlego. Lá, a diferença do primeiro para o segundo colocado foi de sete votos. Salvan Mendes (PR) teve 2.612 e Marcelo de Tintim (PTB) teve 2.605.

No Lastro, mais candidatos “tirando fino”. O tucano Dr. Athaíde teve 1653 votos contra 1644 do peemedebista Emmanuel. Uma diferença surpreendente de nove votos.

Já na cidade de Tacima, o peemedebista teve mais pode de convencimento. Rivan Bezerra conseguiu 3.033 votos contra 3.022 de Xató (PSD). Foram apenas 11 votos de diferença.

São Bento

Entre as cidades maiores, destaque para São Bento, que tem 30.879 habitantes. Lá, uma disputa acirradíssima entre o atual prefeito, candidato à reeleição, Gemilton (PSB) e Dr. Jarques (DEM). Nesse caso, o médico venceu a batalha por 47 votos de diferença. Jarques teve 11.234 e Gemilton (PSB) 11.187.

Blog do Laerte Cerqueira

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CURIMATAÚ

TJPB condena deputado estadual Buba Germano a nove anos de reclusão, inelegibilidade e perda de mandato

Publicado

em

Durante sessão, nesta quarta-feira (02), o Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) condenou o deputado estadual Buba Germano a nove anos em regime fechado. Além disso, o político deverá ficar inelegível e perderá o seu mandato. A ação foi movida pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). Segundo divulgado pelo programa Arapuan Verdade, da rádio Arapuan FM, o parlamentar é acusado de desvio de dinheiro público no momento que exercia a gestão de prefeito no município de Picuí em 2005.

O MPPB acusa o político de ter cometido crimes de responsabilidade ao contratar uma empresa fantasma para promover uma parte social da Festa de São Sebastião ocorrido em janeiro de 2005. Essa denúncia começou com o vereador da cidade de Picuí, Olivânio Dantas Remígio, que na época fazia oposição ao então prefeito da época, Buba Germano. 

O parlamentar ainda é acusado de ter arrematado itens particulares no Leilão de São Sebastião, totalizando R$ 700, mas pagos com recursos públicos. Conforme o ClickPB teve acesso, o político teria preenchido um cheque da Prefeitura de Picuí e incluiu o valor acertado no leilão, o pagamento de R$ 6 mil da empresa que organizou a festa. O relator do processo no TJPB foi o desembargador Ricardo Vital de Almeida, que entendeu que isso se caracteriza crimes de responsabilidade. 

O atual deputado estadual foi condenado a nove anos de reclusão, devendo ser cumpridos em regime fechado. Consta ainda inelegibilidade por cinco anos, perda do mandato de deputado estadual e impossibilidade de ocupar outras funções públicas. A reportagem ligou para Buba Germano, mas até o fechamento desta matéria, o deputado não atendeu as ligações.

Confira o documento:

ClickPB

 
 

 

Continue lendo

CURIMATAÚ

Grupo suspeito de furtar energia elétrica para residências e comércios é preso em Picuí

Publicado

em

A Polícia Civil da Paraíba conseguiu capturar quatro pessoas suspeitas de praticarem furto de energia no município de Pucuí, no Seridó paraibano. A descoberta foi feita pela  Energisa, empresa responsável pelo fornecimento de energia.

O crime foi constatado nesta quinta-feira (26) em duas casas e dois estabelecimentos comerciais da cidade. A equipe responsável pela fiscalização, ao constatar a ilegalidade, acionou a Polícia Civil, que realizou as perícias nos imóveis.

Logo em seguida, os suspeitos foram identificados e encaminhados para a Delegacia de Picuí.

O grupo pagou fiança no valor de um salário mínimo, para cada integrante, e as pessoas irão responder pelo crime em liberdade.

 

PB Agora

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados