Connect with us

PARAÍBA

Cássio parabeniza “determinação” de Lula e diz que Dilma atrasou Transposição

Publicado

em

O senador Cássio Cunha Lima, durante solenidade de chegada das águas do Rio São Francisco à Paraíba, no município de Monteiro, saldou uma série de políticos e personalidades que considerou fundamental para a concretização da maior obra hídrica do Brasil – de Dom Pedro à Lula, mas citando Dilma Rousseff (PT) como a presidente que atrasou o andamento das obras.

“Ao império porque foi Pedro o primeiro a falar sobre a Transposição do Nordeste […] e o tempo passou e nós chegamos ao governo de Itamar Franco, que voltou a debater a transposição. Entramos no governo de Fernando Henrique Cardoso que deu os primeiros passos para os estudos iniciais dessa obra com a participação de dois paraibanos aqui presentes: o ministro e senador Cícero Lucena e o ministro Fernando Catão. Veio o presidente Lula que, com determinação e firmeza, iniciou a obra com a participação muito importante do vice-presidente José Alencar, que foi o grande artífice da obra de engenharia política que se fez necessária para o início da obra. Registrar o trabalho do ministro Ciro Gomes. Na sequência tivemos a presidente Dilma que, infelizmente, atrasou bastante por forças alheias à sua vontade, provavelmente”, comentou.

Cássio elogiou o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e o presidente Michel Temer e alfinetou manifestantes que protestaram contra o presidente Temer minutos antes do início da solenidade, dizendo que os mesmos defendiam o “governo mais corrupto” do Brasil.

“É hora de reconhecer que fez a conclusão da obra do São Francisco. Muitos contribuíram para ela, mas é o governo do presidente Michel Temer, com sua decisão política, ao lado do ministro Helder Barbalho com o apoio da nossa bancada na Câmara e no Senado que nos permitiu viver esse momento. Ouvimos barulho lá fora, os mesmos que não conseguem compreender a importância desse momento. Os mesmos que talvez cumprindo o papel de inocentes úteis, se colocam contra a obra, contra a conquista do povo do Nordeste. Natural, democrático, saudável, mas é uma pena ver jovens levantando bandeiras no sol para defender o que no passado representou o governo mais corrupto da história desse Brasil”, concluiu.
 

Feliphe Rojas para o WSCOM

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PARAÍBA

Padre na Paraíba chama Jair Bolsonaro de ‘imoral’ e ‘genocida’ diante de postura na pandemia: “alguém que tem o prazer de matar”

Publicado

em

O pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, no município de Guarabira, no Brejo paraibano, padre Adauto Tavares Gomes, chamou a atenção da população em geral e dos fieis ao fazer duras críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro. O religioso, em sua homilia dominical, chamou o chefe do Executivo de ‘imoral’ e de ‘genocida’ diante da postura que tem tomado frente a pandemia do coronavírus no Brasil.

De acordo com o padre, casos referente às aglomerações do Carnaval ainda não foram contabilizados, mas frisou o aumento diário da doença em todo o País. “Segundo a Secretária de Saúde do Estado, a leva do Carnaval ainda não chegou. Vai chegar pesado agora em março. Eu espero que não chegue a um lockdown, mas às vezes é necessário”, comentou, como o ClickPB apurou.

Além disso, reclamou do descumprimento da população na questão do isolamento social e destacou que não queria ser militar, “pois se e eu fosse militar, um ‘cabinha’ que botasse uma mesa na rua eu prendia na hora, levava para a cadeia. Vai ficar aglomerado lá na cadeia, mas no meio da rua não. Tem que respeitar”.

Nesse momento, o padre pontuou que o mundo vive a pandemia e esboçou às críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que desde o início da pandemia vem negando a existência da doença, e ignorando os riscos de contaminação. “Já basta aquele desorientado do presidente da República, que não tem moral. É um imoral. A palavra é essa. O presidente da República é um imoral. O homem que não tem moral nenhuma. É um irresponsável. É que estou com vontade de dizer outra coisa, mas não vou dizer não, que é pecado dizer a missa”, criticou.

O sacerdote afirmou que Bolsonaro não tem responsabilidade com a vida da população. Podemos dizer que é um genocida: alguém que tem o prazer de matar”, pois “sai na rua sem máscara, aglomerando”. Além disso, Adauto Tavares acrescentou que, quem vota “nele também é sem moral”. 

Confira o que disse o padre em sua homilia:

 

 

ClickPB

Continue lendo

PARAÍBA

João Azevêdo desmente Bolsonaro após presidente afirmar que enviou R$ 21 bilhões para combate à pandemia na Paraíba

Publicado

em

O governador da Paraíba, João Azevêdo, desmentiu nas redes sociais os valores que foram divulgados pelo presidente Jair Bolsonaro, que seriam de repasses para o Estado em 2020. No Twitter, o presidente divulgou uma lista de repasses do Governo Federal para cada estado e a Paraíba aparece como tendo recebido R$ 21,2 bilhões, além de R$ 6,57 bilhões de auxílio, o que não procede segundo o governador.

”A Paraíba não recebeu R$ 21 bilhões para combater a pandemia”, disse o governador. ”Mais uma vez estão tentando confundir a população, distorcendo valores que incluem FPE, FPM, Auxílio Emergencial, entre outros que são obrigações constitucionais e não podem ser usados no enfrentamento à Covid-19”, completou.

João Azevêdo não foi o único a se queixar da postagem do presidente. Os governadores do Piauí, do Rio Grande do Sul e do Maranhão também reclamaram da forma que Jair Bolsonaro apresentou os números, que, misturando diversas obrigações federais, confunde a população levando a crer que todo o dinheiro poderia ser usado pelos estados no combate à pandemia.

”O presidente da República insiste em agredir a verdade para tentar atingir os governadores. Ele está postando contas malucas sobre recursos enviados aos estados, misturando com municípios, recursos de FPE, FPM, auxílio emergencial etc. Em suma, é um irresponsável”, escreveu o governador do Maranhão, Flávio Dino, nas redes sociais.

Ele afirmou que pretende processar o presidente. ”A mentira federal sobre repasse de recursos ao Estado do Maranhão é tão absurda que o valor ‘informado’ (R$ 36 bilhões) equivale quase ao DOBRO do orçamento do Estado em 2020. Vamos ter que, mais uma vez, entrar na Justiça por essa vergonhosa fake news”, escreveu Dino.

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados