Connect with us

PARAÍBA

Cidade do Cariri transforma seca em economia criativa

Publicado

em

Desde o mês de agosto de 2014, uma cidade paraibana foi atingida pelo empreendedorismo. No quesito de empreender, o município de Boqueirão, no Cariri paraibano saiu na frente.

Na terra fértil, mas que sofre com a estiagem, seu povo foi se transformando, assim como a paisagem seca quando recebe a primeira chuva. A paisagem é de plantas secas, mas quando cai uma única chuva, aparecem folhas verdes, demonstrando o esforço do seu povo que com a luta contra as adversidades floresce.

Terra que possui o grande açude Epitácio Pessoa, mais conhecido como Boqueirão, que está há muito tempo secando, não permite mais as irrigações nas terras e o cenário que era de plantações de hortifrut, hoje quase não produz nada. Seu açude também era rico em peixes, que são escassos atualmente e servia até de lazer para moradores e turistas, coisa que foi paralisada por causa do seu volume de água. No entanto, o povo nordestino é trabalhador e criativo e teve que diversificar suas atividades para não passar fome.

Assim, diante das adversidades climáticas, surgiu a economia criativa e o turismo de experiência que está se desenvolvendo mais a cada dia devido a receptividade dos envolvidos que foram sensibilizados e convencidos pelo Sebrae através de suas ações e a força do povo de transformar a paisagem econômica de uma região castigada pela desertificação.

Um exemplo deste desenvolvimento a partir do “soprar da chuva” é o das Crocheteiras do Lajedo do Marinho. Um grupo de mulheres que ajudavam seus familiares no cultivo da terra e criação de animais viram nas linhas e pontos a oportunidade de empreender e agregar mais renda diante da seca da região.

O grupo começou com 15 mulheres e hoje com 20 estão lutando para realizar o sonho de virar uma cooperativa e assim empreender cada dia mais.

O que começou com um ponto e um tipo de linha, hoje agrega vários tipos de fios, pontos e trabalhos que servem para embelezar e compor looks e ambientes. O sucesso é tanto que a partir da participação no Salão de Artesanato em janeiro, em João Pessoa, outros convites vieram e as encomendas foram até para o exterior.

A intervenção do Sebrae trouxe profissionalismo para o grupo que iniciou a valorização do trabalho desenvolvido e o mais importante a melhora da autoestima das famílias envolvidas.

Carmem Lúcia de Lira Ferreira, uma das artesãs explicou ao PBAgora que essa economia criativa deu, para quem não tinha perspectivas, uma vontade de continuar, vencer, aprender e diversificar o produto que produziam e assim conquistar mais clientes, valorizando a mão de obra na comunidade Lajedo do Marinho.

As Crocheteiras vão participar no próximo mês de junho do Salão do Artesão em Campina Grande e vão usar o Maior São João do Mundo para vender e mostrar seus produtos, arte e receptividade que só o povo nordestino tem.

Outro grupo que também tem empreendido é o de Condutores do Lajedo do Marinho. Após um treinamento com o turismólogo e guia turístico Tadeu Ferreira, que trabalha com o Sebrae, os homens que trabalhavam com construção, plantações e pesca se transformaram em condutores do Lajedo do Marinho. Só que além de guiar os visitantes para um dos lugares mais mágicos e bonitos da Paraíba, os condutores também estão proporcionando uma grande experiência no turismo, a oportunidade de acampar no Lajedo, seja com suas barracas ou com a que eles dispõem. Uma seresta também pode ser promovida. Segurança, alimentação e estar no meio da natureza já é possível com o camping ecológico que até banheiro sustentável tem.

O turismo de experiência foi agraciado com este grupo que quando contactado leva quem desejar para conhecer o Lajedo, que está numa propriedade privada, e pode proporcionar um acampamento muito bem estruturado e seguro para quem deseja ficar no Lajedo por uma noite.

Para comer, antes ou depois de conhecer o Lajedo, um restaurante de comida regional e pizzaria foi aberto no início de maio, outra lição empreendedora da professora e também crocheteira Maria Suelene de Oliveira e sua irmã Mauriceia Maria de Oliveira. Elas realizaram o sonho da sobrinha que voltará para a comunidade depois de viver no Rio de Janeiro. Enquanto ela não chega, a família vai cuidando e vendo que a ideia deu certo.

São mais de 700 pessoas que moram na comunidade do Lajedo um o evento Adventure Tour deu visibilidade para o Lajedo do Marinho e para as cidades por onde passou. O público diferenciado pode viver muitas experiências diversificadas como trilhas de caminhada, bike, cavalgadas, motos, veículos 4×4 como jipes. Pessoas que valorizam a natureza e puderam curtir seus esportes em harmonia com as paisegens naturais.

No entanto, Boqueirão também é famosa por suas redes artesanais, feitas por exemplo, pela criadora do Museu dos Teares no Sítio Tabuado de Cima, Maria Lúcia de Oliveira Brito.

Seu trabalho ajuda a família de sete filhos e alguns já com filhos, esposas e esposos, a ter uma vida melhor e uma renda mais satisfatória. Suas redes são famosas na Paraíba e em outros estados e são vendidas em cidades como Caruaru e em feiras como o Salão de Artesanato. Com a economia pulsante já vendeu mais de mil redes, no entanto, com a conjutura econômica atual, 100 redes são produzidas e vendidas, seja as mais simples como as mais personalizadas, além de cortinas e tapetes todos feitos no tear que foi herdado de sua mãe, que herdou de sua avó, e nisso, lá vai mais de 100 anos de tradição.

Sem dúvida a economia criativa tem ajudado muitas famílias a terem uma qualidade de vida melhor, seja financeiramente falando, como também na autoestima das pessoas, que veem seus trabalhos valorizados por pessoas do mundo todo. Além disso, iniciativas como o camping ecológico no Lajedo do Marinho agrega valor ao turismo de experiência na Paraíba que tem se beneficiado pela luta do seu povo para proporcionar momentos inesquecíveis para quem puder viver estes momentos ao lado de gente trabalhadora e cenário natural deslumbrante.

Conheça você também internauta mais do trabalho destas pessoas pessoalmente e também através das redes sociais.

Sitio Tabuado

Crocheteiras do Lajedo do Marinho

Condutores do Lajedo do Marinho

Fotos e reportagem

Vanessa de Melo 

PB Agora

Continue lendo

PARAÍBA

Paraíba registra 1.186 casos de Covid-19 e 18 óbitos em 24h; total de mortos chega a 4.451 e 218.307 infectados

Publicado

em

A Paraíba registrou, nesta sexta (26), 1.186 casos de Covid- 19. Também foram confirmados 18 novos óbitos desde a última atualização, sendo 14 deles nas últimas 24h. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde ao ClickPB desde a última atualização, 68 (5,73%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.118 (94,27%) são leves.

Números Totais:

  • Casos Confirmados: 218.307
  • Óbitos Confirmados: 4.451
  • Casos Recuperados: 157.849
  • Testes Realizados:  649.865

Agora, a Paraíba totaliza 218.307 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 649.865 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Os óbitos ocorreram entre os dias 26 de janeiro e 26 de fevereiro de 2021, sendo quatro deles em hospitais privados, dois em residências e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 4.451 mortes. O boletim registra ainda um total de 157.849 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 622 novos casos, o que corresponde a 52,44% dos casos registrados nesta sexta. São eles: 

  • João Pessoa, com 358 novos casos, totalizando 57.888; 
  • Campina Grande, com 146 novos casos, totalizando 20.160; 
  • Patos, com 45 novos casos, totalizando 8.695; 
  • Catolé do Rocha, com 37 novos casos, totalizando 2.021; 
  • Cajazeiras, com 36 novos casos, totalizando 4.653.

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 26/02/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta sexta, 206 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 18 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Boa Ventura (1), Cajazeiras (1), Campina Grande (2), Catolé do Rocha (1), Jacaraú (1), João Pessoa (8), Marcação (1), Pombal (1), São José de Piranhas (1) e Sousa (1). As vítimas são 10 homens e 08 mulheres, com idades entre 15 e 108 anos. Hipertensão foi a comorbidade mais freqüente e sete não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 71%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 91%. Em Campina Grande estão ocupados 57% dos leitos de UTI adulto e no sertão 81% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 70 pacientes foram internados nas últimas 24h.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 140.787 doses. Até o momento, 107.906 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 32.881 com a segunda dose da vacina. 

ClickPB

Continue lendo

PARAÍBA

EM CAJAZEIRAS: estudante morre vítima da covid-19 no dia do aniversário de 16 anos

Publicado

em

O estudante cajazeirense José Hugo Lins Félix, morreu vítima da covid-19 na tarde desta quinta-feira (25), o estudante faleceu no dia em que completou 16 anos, ele  deu entrada no Hospital Regional de Cajazeiras com fortes dores no abdômen e testou positivo para a doença.

De acordo com informações repassadas pelo HRC, o jovem teve complicações no intestino e acabou não resistindo.

José Hugo era morador do Distrito de Bom Jesus, município de São José de Piranhas, Sertão da Paraíba.

Polêmica Paraíba

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados