Connect with us

SAÚDE

Cientistas descobrem substância natural que pode evitar mal de Alzheimer

Publicado

em

As sinapses, conexões existentes entre os neurônios de nosso cérebro, são responsáveis pela formação contínua de novas memórias. Contudo, a capacidade de memorização e aprendizagem diminui drasticamente com o envelhecimento em muitas pessoas. Haveria uma forma de evitar isso? Segundo um recente estudo, uma substância produzida pelo próprio corpo é o elixir contra o esquecimento.

Em artigo publicado no periódico Plos, pesquisadores das universidades de Berlim e Göttingen, na Alemanha, e Graz, na Áustria, mostram que a espermidina, composto orgânico envolvido no metabolismo celular, pode ajudar a evitar alterações sinápticas relacionadas com a idade.

As mudanças nas sinapses são causadoras de demências e estão associadas a outras doenças, como o mal de Alzheimer. Ao atuar nos neurônicos, a espermidina protegeria as sinapses da perda de memória típica da idade.

O estudo explica que o processo de perda de memória está associado a uma redução do espaço operacional entre neurônios. Essa redução é que inviabilizaria a formação de novas memórias. A espermidina funcionaria impedindo estas mudanças.

Memória de mosca

Assim como os humanos, a mosca da espécie Drosophila melanogaster (a mosca da fruta) também sofre com a perda de memória. Foi estudando moscas que os cientistas chegaram às conclusões sobre o comportamento dos neurônios na idade avançada e a ação da espermidina.

Eles observaram que a perda de memória no inseto está relacionada a uma redução do nível de espermidina. Assim, fizeram a experiência de introduzir a substância na dieta das moscas. O que se verificou foi um inesperado cenário de redução de déficits de memória nas moscas que receberam o suplemento alimentar.

Com o estudo, uma nova perspectiva para o estudo da memória e a busca pela cura de demências associadas à idade se abre. Caso se mostre mesmo eficaz contra o esquecimento em humanos, a espermidina poderá ser usada em estratégias terapêuticas.

UOL

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

SAÚDE

Plano nacional de vacinação contra Covid-19 será divulgado na segunda, diz líder do consórcio do Nordeste

Publicado

em

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O Ministério da Saúde informou a governadores que o plano nacional de vacinação contra a Covid-19 será divulgado na próxima segunda-feira (30).

O líder do consórcio do Nordeste, o governador Wellington Dias (PT-PI), afirma que serão definidos nessa etapa os preparativos para a vacinação, como as regras de distribuição do medicamento e de armazenagem, além do treinamento das equipes.

Está prevista a organização do número de pontos de vacinação, e se ela será feita por agendamento e para quais grupos prioritariamente.

O governo havia sinalizado aos governadores que estaria pronto para fazer o anúncio na segunda, o que foi confirmado nesta quarta (25).

Segundo Dias, a estratégia definida é trabalhar com múltiplas vacinas, “começando pela primeira autorizada pela Anvisa”.

“Em dezembro é prevista a conclusão da terceira etapa de duas vacinas: a Coronavac e Oxford. E o Brasil, como é signatário do consórcio de países com a OMS, pode adotar outras, aprovadas pela OMS”, disse.

Continue lendo

MUNDO

Vacina Sputnik tem 95% de eficácia e será mais barata que as americanas e europeias

Publicado

em

A Rússia anunciou esta terça-feira (24) que a sua vacina Sputnik V contra o coronavírus tem uma eficácia de 95%, segundo resultados preliminares. O país fez referência ao imunizante desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya em Moscovo. 

De acordo com a agência Reuters, governo russo informou que vai cobrar menos por sua vacina Sputnik V, contra a Covid-19, do que suas rivais e Moscou pretende produzir mais de 1 bilhão de doses dentro e fora do país no próximo ano.

Moscou tem sido criticada por cientistas ocidentais que acusam a Rússia de buscar atalhos em um esforço para acelerar a vacina Sputnik V, o que a Rússia nega.

Estabelecer um preço menor do que o de rivais pode ajudar a Rússia a obter uma parcela do mercado.

No Brasil, o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Krieger, afirmou que o cronograma estimado pela fundação prevê a produção de 130 milhões.

Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados