Connect with us

MUNDO

Coreia do Norte diz ter curado a aids, o ebola e o câncer com uma única droga mágica

Publicado

em

A Coreia do Norte afirmou ter desenvolvido uma nova droga capaz de curar não só a aids, mas também de erradicar o vírus ebola e câncer, segundo o mais recente anúncio da agência oficial de notícias do país.

O anúncio diz que a cura mágica consiste em ginseng — uma planta tradicional de alguns países do oriente — cultivado com fertilizantes e uma mistura de outros ingredientes. No entanto, o canal norte-coreano não revelou mais detalhes sobre a combinação especial.

Conhecida por fazer comunicados escandalosos sobre suas supostas realizações, o regime diz que o medicamento aparentemente vai ser injetável e será conhecido como Kumdang-2.

Em um comunicado publicado pela Korean Central News Agency, o Dr. Jon Sung Hun disse que “os pesquisadores inseriram elementos de terras raras em gingseng, aplicando os fertilizantes micro-elementares das terras aos campos”.

— Como um imunoativador forte, a injeção foi reconhecida como capaz de evitar diferentes epidemias malignas.

Até mesmo um portal sobre a droga foi criado na internet. Na página, é citado um estudo médico realizado na África, onde a droga foi testada em pacientes HIV positivos. O texto registra que todos os participantes dos testes tiveram uma melhoria em seus quadros, com 56% dos tratados tendo sido completamente curados e outros 44% tendo uma melhora considerável em sua condição.

Os cientistas norte-coreanos também revelaram que a droga é capaz de curar “um número de cancros”. Mas não divulgou quais tipos, nem se existem ensaios clínicos que embasem a afirmação.

R7

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

MUNDO

Jornal francês diz que Bolsonaro colocou pandemia “fora do controle” e compara Brasil a acidente nuclear

Publicado

em

O jornal francês Libération disse que a pandemia no Brasil está “fora do controle” com 4 mil mortes por dia, “hospitais à beira do colapso” e “o maior número de mortes no mundo nesta semana, três vezes mais do que nos Estados Unidos”. O artigo também comparou o Brasil, com suas mutações do novo coronavírus que poderiam resistir às vacinas, a “um acidente nuclear causando reações descontroladas”.

Ainda, o jornal lembrou que as vacinas “são inacessíveis para a população em geral”.

Segundo o artigo do Libération, “atrás da catastófre nacional no Brasil, tem um homem, seu presidente eleito Jair Bolsonaro, personificação extrema do populismo de direita”. O jornal francês lembrou que Bolsonaro insistiu a minimizar a pandemia da Covid-19, “ridicularizar portadores de máscaras e duvidar da urgência da vacinação”.

Por isso, destacou que “358 mil mortes mais tarde, já é tarde demais: o Brasil tornou-se um pária mundial, percebido como uma usina gigantesca de variantes desconhecidas”. Bolsonaro é um “irresponsável”, diz um dos mais importantes jornais franceses.

Na semana passada, o jornal francês Le Monde denunciou a farsa jurídica da Lava Jato e Sergio Moro para condenar o ex-presidente Lula sem provas e tirá-lo das eleições presidenciais de 2018, permitindo a vitória de Bolsonaro. Moro foi ministro do atual governo genocida.

Brasil 247

 

Continue lendo

MUNDO

Jornal português explica por que o Brasil é o pior país do mundo na pandemia: Bolsonaro

Publicado

em

Jair Bolsonaro é o responsável direto pelo aumento dos casos de mortes relacionados à Covid-19 no Brasil, aponta o jornal Diário de Notícias, um dos maiores de Portugal. “De quem é a culpa? Depois de recusar comprar vacinas, além de criticá-las, de promover tratamentos ineficazes e de rejeitar isolamento e máscaras, os especialistas apontam o dedo ao presidente Jair Bolsonaro, cujo governo vai começar a responder politicamente pela tragédia em Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) por omissão no combate à doença”, destaca o periódico. 

A reportagem, assinada pelo jornalista João Almeida Moreira, ressalta que “um estudo realizado pelo Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário da Faculdade de Saúde Pública da USP e pela organização não-governamental Conectas Direitos Humanos descarta a tese da “incompetência” de Bolsonaro e aponta que o presidente promoveu a propagação do novo coronavírus no Brasil “com empenho e eficiência”’ sob a alegação da necessidade de “retomar a atividade económica o mais rapidamente possível e a qualquer custo”. 

Ainda segundo o jornal, o Brasil ocupa a última classificação em um ranking de 98 países no combate à pandemia, elaborado pelo centro de debates do Lowy Institute, de Sidney, na Austrália. Além disso, o Diário de Notícias também destaca que uma pesquisa do Datafolha, realizada em março, apontou que 43% dos brasileiros consideram Bolsonaro o principal responsável pela crise sanitária. 

“Com este pano de fundo, Luiz Roberto Barroso, juiz do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o Senado abrisse uma CPI para investigar a ação – ou omissão – do governo no combate à doença, com base num pedido nesse sentido de 31 parlamentares (mais quatro do que o mínimo de 27 exigido) de 15 de janeiro”, diz um outro trecho da reportagem. 

 

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados