Connect with us

EDUCAÇÃO

Filho De Cozinheira De RO É Aprovado Em Cambridge, 6ª Melhor Universidade Do Mundo

Publicado

em

Filho de uma cozinheira desempregada, o estudante Mateus do Carmo Braga, de 17 anos, superou as próprias expectativas ao ser aprovado em uma bolsa de estudos na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, que é considerada a 6ª melhor universidade do mundo segundo a Times Higher Education.

Natural do município de Nova Brasilândia do Oeste (RO), Mateus, com apenas oito meses se mudou para Jaci-Paraná (RO), distrito em que morou até os 14 anos. Em 2017, ele foi aprovado no processo seletivo do Instituto Federal de Rondônia (Ifro) de Porto Velho para cursar o ensino médio.

Como a mãe havia perdido o emprego há pouco tempo eles passaram inúmeras dificuldades durante a mudança para a capital. Mateus foi morar de aluguel com o irmão enquanto a mãe, dona Márcia, continuava no distrito de Jaci-Paraná trabalhando para sustentar os sonhos da família.

Todo esse esforço era movido pela grande vontade que Mateus tem em se tornar professor de matemática por uma universidade renomada fora do estado. E retornar para contribuir com a qualidade do ensino nas escolas da rede pública de Rondônia.

“A situação no Brasil e no estado de ‘fuga de cérebros’ prejudica em muito nossa qualidade. São pouquíssimos profissionais grandes que têm interesse de se manter aqui por ser um estado menor. Mas eu tenho uma dívida com minha terra natal, eu só consegui essas oportunidades pelas pessoas daqui que acreditaram em mim. Tenho que retornar e fazer o mesmo com meus futuros alunos daqui”, falou.

Durante a sua trajetória na escola, Mateus garantiu algumas conquistas. Ele recebeu uma medalha em ciências em um concurso feito no estado do Pará, medalhas de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e na Olimpíada Canguru de matemática, além de ter ficado entre os três finalistas na etapa nacional do programa de simulação Internationali Negotia da Organização das Nações Unidas (ONU).

Mateus foi aprovado na Universidade de Cambridge, no Reino Unido. — Foto: Mateus Braga/Arquivo pessoal
Mateus foi aprovado na Universidade de Cambridge, no Reino Unido. — Foto: Mateus Braga/Arquivo pessoal

Com o objetivo de se tornar docente, o jovem se inscreveu em um concurso de bolsas para o curso de matemática na Universidade de Cambridge. Ele participou do processo seletivo em que cada candidato deveria escrever uma redação totalmente em inglês, de até 550 palavras, com o tema “o melhor matemático dos últimos 100 anos”. Mas com a vida simples que tinha, a dona Márcia não teve condições de custear um curso de inglês para o filho.

“A minha mãe era cozinheira, agora ela se encontra desempregada, mas mesmo antes a gente nunca teve uma renda que sobrasse pra fazer alguns ‘luxos’. Então, uma das coisas que eu aprendi sozinho foi inglês. Eu estudo desde criança por conta própria. E esse inglês que eu aprendi, foi o inglês que eu usei na redação pra submeter ao concurso”, contou.

Mateus foi aprovado em uma bolsa parcial com um desconto de 50% para o curso de verão de matemática pelo Immerse College Essay Competition. Segundo ele, menos de 7% dos alunos que participaram do processo seletivo receberam alguma tipo de bolsa.

O adolescente já é chamado pelos amigos como “menino de Cambridge”, mas para realmente garantir a vaga na universidade, ele precisa pagar o valor restante do curso. Como o sustento da família vem do seguro desemprego da mãe, Mateus está fazendo uma “vaquinha” na internet para conseguir custear os estudos.

O prazo para dar a primeira entrada da quantia e assegurar a vaga é 27 de novembro, no entanto, até agora, ele conseguiu levantar apenas 16% do valor.

“É pra conseguir ir e levar o nome do nosso estado. Realmente é, porque eu fui nascido e criado aqui a vida inteira e a única vez que eu saí daqui foi numa viagem pro Pará pela Seduc para representar o estado, e agora novamente eu sairei ano que vem pra representar o estado no Reino Unido”, contou.

*Estagiária do G1 RO, sob supervisão de Ana Kézia Gomes.

 

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Enem na pandemia: infectologista recomenda quarentena aos candidatos após a prova

Publicado

em

O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) se somou à pressão de outras entidades e enviou, nesta quarta-feira (13), uma carta ao Ministério da Educação em que solicita ao titular da pasta, Milton Ribeiro, que adie a data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para os dois próximos domingos (17 e 24).

A prova que dá acesso ao ensino superior conta com quase 6 milhões de inscritos, que se deslocarão de suas casas, em todo o Brasil, e passarão pelo menos 2 horas em uma sala fechada com, no mínimo, outras 30 pessoas.

“Não é adequado realizar um exame nacional destas proporções num contexto de alta transmissão da doença [Covid-19] e em realidades tão assimétricas no país. Todos os estados possuem regiões de alta transmissão”, diz a carta dos secretários estaduais de Saúde.

 

A preocupação não é à toa. Sem sequer um plano de vacinação, o Brasil vive uma ascensão exponencial no número de casos e mortes em decorrência da Covid-19. Com mais de 200 mil mortos, o país bateu, nesta terça-feira (13), o maior número de média móvel de novos casos de infecção desde o início da pandemia: 54.784 diagnósticos positivos para a doença em um só dia.

Diante deste cenário, antes do Conass, entidades como a Defensoria Pública da União, junto com a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), a Campanha Nacional pelo Direito à Educação e a Educafro entraram com uma ação na Justiça exigindo o adiamento das provas. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do MEC responsável pela realização do Enem, no entanto, mantém as datas da prova e ainda tem o respaldo da Justiça, que negou nesta terça-feira (12) o pedido pelo adiamento feito pelas entidades.

À Fórumem entrevista publicada na segunda-feira (11), Andressa Pellanda, coordenadora geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, afirmou que os estudantes, para além da pressão do vestibular, neste momento “têm que escolher entre fazer o Enem ou a saúde de suas famílias”.

Exame e Quarentena

Mais do que o momento da prova na sala de aula em si, a transmissão do vírus para as famílias é o que mais preocupa Fábio Junqueira, infectologista e professor da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

“Vamos imaginar o cenário ideal, todo mundo de máscara, distanciamento e ventilação. Isso é uma coisa. Minha preocupação é outra coisa: o transporte até a escola, a aglomeração na abertura do portão, no trajeto até a sala. Foi pensado nisso? Como vai acontecer? E o jovem faz o quadro [de Covid-19] mais leve mesmo, é raro precisar de internação, mas acaba transmitindo para dentro de casa”, disse Junqueira à Fórum, considerando que a maior parte dos candidatos vai até o local de aplicação do exame de transporte público, onde há aglomerações.

Aos inscritos que farão a prova, o professor recomenda uma quarentena de duas semanas após o exame. “É importante esse candidato se ambientar. Se expôs num cenário com maior risco. Tem que fazer uma quarentena de pelo menos uns 14 dias de pais, tios, avós ou alguém que more na mesma casa e tenha comorbidade”, pontua.

O médico dá como dica, ainda, o uso da máscara modelo N95 que, para ambientes fechados como as salas de aplicação do Enem, segundo ele, protegem mais que as máscaras comuns, além de protetor ocular, como óculos ou face shield.

O maior risco de pegar ou transmitir o vírus, segundo Junqueira, entretanto, está mesmo no trajeto. “Não aglomerar no ponto de ônibus, tentar ficar em um ônibus com janelas abertas, tentar ir a pé quando possível. Se for de Uber ou carro da família, vá de janelas abertas, sempre com máscara e usando álcool em gel. Não tirar a máscara de forma alguma dentro da sala”, recomenda.

O Inep informa que o uso de máscara é obrigatório tanto para entrar no local do exame quanto durante a realização da prova, sob pena de desclassificação. As salas, segundo o MEC, terão 50% menos candidatos que nos outros anos e as carteiras estarão dispostas respeitando o distanciamento social.

Revista Fórum

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Inscrições para o Prouni 2021 abrem nesta terça-feira (12)

Publicado

em

As inscrições para o Programa Universidade Para Todos (Prouni) 2021 abrem nesta terça-feira (12/1) e se encerram às 23h59 de sexta (15/1).

Para se inscrever, é preciso acessar a página do Prouni. O candidato pode escolher até duas opções de instituição, curso e turno. Todos os dias, ao longo do período de inscrição, o sistema atualiza as notas de corte. O candidato poderá alterar as opções de acordo com as chances de ser aprovado.

O Prouni seleciona candidatos para bolsas parciais e integrais em universidades particulares. Um dos critérios de seleção é o desempenho dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Como o Enem 2020 foi adiado em razão da pandemia e os resultados só serão divulgados no fim de março, as notas usadas no processo seletivo do Prouni serão as da edição de 2019.

Somente poderá se inscrever no processo seletivo do Prouni quem seguir as seguintes condições:

I – Tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;

II – Tenha cursado o ensino médio completo em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição;

III – Tenha cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição;

IV – Pessoa com deficiência; e

V – Professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrando o quadro de pessoal permanente da instituição pública.

Com exceção dos professores, os demais candidatos não podem ter diploma do ensino superior.

Os resultados da primeira chamada serão divulgados em 19 de janeiro e os da segunda, em 1º de fevereiro.

Critérios de renda

O Prouni dá direito a bolsas de estudo em universidades particulares. São duas modalidades:

  • Bolsa integral: renda familiar mensal per capita de até 1,5 salário mínimo;
  • Bolsa parcial (50% da mensalidade): renda familiar mensal per capita de 1,5 a 3 salários mínimos.
Cronograma do Prouni:
  • Inscrições: de 12/1 a 15/1/2021.
  • Resultados da primeira chamada: 19/1/2021.
  • Resultados da segunda chamada: 1º/2/2021.
  • Interesse em participar da lista de espera: 18 e 19 de fevereiro de 2021
  • Resultado da lista de espera: 22 de fevereiro de 2021.
Fies e Sisu

O Programa de Financiamento Estudantil (Fies) também abrirá as inscrições em janeiro. A seleção para concorrer a um dos contratos de financiamento para mensalidades em universidades privadas será aberta em 26 de janeiro e se encerra em 29 de janeiro.

O Fies também usa as notas do Enem como critério de seleção e, para a edição do primeiro semestre de 2021, adotará o desempenho do Enem de anos anteriores (de 2010 a 2019).

Já o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona alunos para universidades públicas, ficará para abril. Como as notas do Enem 2020 sairão em março, haverá tempo de usá-las no processo de seleção.

 

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados