Connect with us

BRASIL

Imagens mostram entrega de dinheiro a emissários de Temer e Aécio

Publicado

em

O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, divulgou nesta quinta-feira imagens feitas pela Polícia Federal das entregas de dinheiro do diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud, a emissários do presidente Michel Temer e do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Segundo o jornal, na delação da JBS, os executivos da empresa, incluindo seus donos, Joesley e Wesley Batista, afirmam que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor de Temer, recebeu 500.000 reais em dinheiro vivo em São Paulo. O montante, de acordo com a publicação, é a primeira parcela da propina de 480 milhões de reais a Temer que teria sido acertada com Rocha Loures, valor que seria pago em parcelas semanais de 500.000 reais.

O presidente também teria sido gravado por Joesley dando aval à compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso em Curitiba, e do lobista Lúcio Bolonha Funaro, preso em Brasília. Na ocasião, Temer teria dito: “Tem que manter isso, viu?”.

Aécio teria pedido, e recebido, 2 milhões de reais em dinheiro vivo da empresa, supostamente para custear os honorários do criminalista Alberto Toron em sua defesa na Operação Lava Jato.

Entrega ao emissário de Michel Temer (28/04/2017)

As imagens reveladas pelo jornal mostram o encontro e os deslocamentos do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor de Temer, ao lado de Saud, em São Paulo, no dia 28 de abril.

Rocha Loures e o executivo se encontram no café Il Barista, no Shopping Vila Olímpia, e dali seguem ao restaurante Pecorino, no mesmo shopping. O jornal afirma que o deslocamento era uma “estratégia de despiste” do peemedebista.

Depois de meia hora no local, os dois vão ao estacionamento do shopping, onde Ricardo Saud mantinha 500.000 reais alocados dentro de uma mala em seu carro. As imagens mostram o dinheiro dividido em notas de 50 reais dentro da mala. O emissário de Temer, no entanto, não pega a mala e os dois seguem à pizzaria Camelo, nos Jardins, bairro nobre da capital paulista.

Segundo o jornal, esse deslocamento também foi feito por sugestão de Rocha Loures, que entra na pizzaria sem a mala e depois sai do local carregando o objeto.

Esquerda em cima: O deputado Rodrigo Rocha Loures e Ricardo Saud se encontram em um café em São Paulo. Os dois seguem para o restaurante Pecorino. Meia hora depois, se encontram no estacionamento do Shopping Vila Olímpia. Saud tinha uma mala com 500 mil reais em espécie em seu carro. O deputado não pega a mala no estacionamento, segue para a pizzaria Camelo e entra no restaurante sem nenhuma mala.

Loures deixa a pizzaria carregando uma mala

 

De acordo com O Globo, a Polícia Federal também filmou três entregas de dinheiro a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio Neves que teria sido encarregado de receber 2 milhões de reais pedidos pelo tucano ao empresário Joesley Batista, dono da JBS e delator premiado. “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”, teria dito Aécio a Joesley.

O jornal publicou imagens de duas das entregas a Fred, ambas na sede da JBS em São Paulo.

A primeira entrega ao emissário de Aécio (12/04/2017)

Na primeira delas, em 12 de abril, o primo de Aécio Neves chega à sede da empresa na capital paulista, registra-se na portaria e aguarda ser recebido por Ricardo Saud acomodado em um sofá preto. Na sequência das imagens, o executivo da JBS aparece e convida Medeiros a entrar em uma sala, onde estava uma mala com 500.000 reais, divididos em notas de 50 reais. Os dois conversam.

Em seguida, Fred aparece contando o dinheiro. Ele retira um maço, coloca-o em sua bolsa e deixa o restante do valor na mala. Na sequência, os dois aparecem deixando a sede da JBS.

Direita em cima: Fred (primo de Aécio) na sede da JBS em São Paulo, entrando no prédio pelas catracas, aguardando na recepção para ser atendido pelo diretor da JBS, Ricardo Saud

Esquerda em cima: Ricardo Saud e Fred conversam antes da entrega da propina. A mala continha 500 mil reais em espécie.

Fred conta o dinheiro, separa um parte para colocar em sua bolsa a tira-colo, e em seguida os dois saem da sede da JBS

A segunda entrega ao emissário de Aécio (19/04/2017)

A segunda entrega, uma semana depois, em 19 de abril, também aconteceu na sede da empresa de Joesley Batista. Naquele dia, como indicam as fotos publicadas por O Globo, o primo de Aécio Neves chegou à JBS portando uma mochila e é recebido por Ricardo Saud em um almoço em uma sala. O executivo coloca uma mala com 500.000 reais sobre a mesa, dessa vez divididos em notas de 100 reais.

Saud, então, transfere o dinheiro à mochila de Frederico Pacheco de Medeiros. Na sequência, os dois aparecem juntos no estacionamento da empresa. Foi ali mesmo, como mostram as imagens, que o emissário de Aécio Neves entregou o dinheiro a Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), aliado do tucano, que seguiu com a propina de carro até Belo Horizonte, em três viagens, acompanhadas pela Polícia Federal.

Os 500.000 reais teriam sido entregues na empresa Tapera Participações Empreendimentos Imobiliários, de Gustavo Perrella, filho de Zezé Perrella.

Fred chega novamente à sede da JBS, em São Paulo. Ele e Ricardo Saud, diretor na empresa, almoçam juntos

Saud coloca a mala com 500 mil reais em cima da mesa em que almoçam. Fred transfere o dinheiro da mala para uma mochila e os dois seguem para o estacionamento, se despedindo

[adsneaky rows=”2″]

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

BRASIL

Sputnik V será entregue primeiro aos governadores

Publicado

em

O laboratório que produz a vacina russa contra a Covid-19, a Sputnik V, anunciou que os imunizantes serão entregues primeiro aos governadores. As entregas encomendadas pelo governo federal serão entregues depois, informa a coluna de Guilherme Amado, na Época.

Segundo o jornalista, governadores suspeitam que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) demora em aprovar o imunizante para que Jair Bolsonaro não passe um novo constrangimento na compra de vacinas. 

Ontem (16), a agência enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) documentos que apontam incertezas e “pontos críticos” relacionados à qualidade, eficácia e segurança da Sputnik V.

Brasil 247

Continue lendo

BRASIL

ONU antecipa 4 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 ao Brasil

Publicado

em

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou nesta sexta-feira (16) a antecipação do envio ao Brasil de 4 milhões de doses de vacinas contra covid-19 ainda neste mês de abril por meio do consórcio Covax Facility, co-liderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Há ainda a possibilidade de se antecipar o envio de outras 4 milhões de doses via Covax, informou a ONU, à qual a OMS é vinculada, em comunicado. O anúncio do repasse foi feito em reunião virtual de dirigentes da ONU e da OMS com 22 governadores e 4 vice-governadores do Fórum de Governadores do Brasil nesta sexta.

No dia 21 de março, o Brasil recebeu o primeiro lote de 1.022.400 doses de vacinas da AstraZeneca/Oxford contra Covid-19 por meio do Covax Facility.

O programa oferece auxílio especialmente a países em desenvolvimento, permitindo que eles vacinem profissionais de saúde e outros grupos em alto risco, mesmo se seus governos não conseguiram garantir vacinas com os fabricantes.

No caso do Brasil, foram adquiridas 42,5 milhões de doses de vacinas por meio do programa.

O Brasil tem atravessado nas últimas semanas o pior momento da pandemia, com elevados registros de mortes e casos de covid. O país sofre com o colapso nos sistemas de saúde com falta de leitos de UTI, escassez de medicamentos do chamado kit intubação e a demora na imunização.

Gestores regionais reclamam também da falta de coordenação do governo federal para fazer frente a essa situação e começaram a tomar iniciativas entre eles para se reorganizar.

Em entrevista coletiva após a reunião, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse que a ONU vai pedir aos EUA que envie ao Brasil vacinas contra covid que não estão sendo usadas no país. Ele destacou que essa eventual ajuda humanitária seria uma exceção aberta pelo governo dos EUA.

Dias destacou que há vacinas da AstraZeneca nos EUA que não estão sendo utilizadas. Por isso, foi pedida uma flexibilização na legislação norte-americana para permitir que haja a doação ou venda de excedentes de imunizantes para o Brasil e outros países.

Segundo o governador, a representante da ONU se comprometeu a tratar do tema.

Para Dias, que coordena a temática das vacinas no fórum nacional dos governadores, o problema do Brasil não é só dele, mas do mundo. Ele citou a avaliação feita pela OMS que reconhece o Brasil como o “maior propagador” de variantes de covid.

“Se o mundo não cuidar do Brasil, há um risco de que essas variantes se alastrarem para o mundo”. alertou.

Com apenas dois imunizantes à disposição –CoronaVac e AstraZeneca– e atrasos no processo de fabricação, o Brasil vacinou até o momento 24,8 milhões de pessoas com a primeira dose, o equivalente a 11,8% da população, e 8 milhões com as duas, o que representa 3,8% da população.

Para acelerar a vacinação no país, a Pfizer entregará ao Brasil o primeiro lote de 1 milhão de doses da vacina desenvolvida pela empresa com a parceira BionTech contra a covid-19 em 29 de abril, como parte de uma antecipação do contrato total assinado com o Ministério da Saúde por 100 milhões de imunizantes, disse nesta sexta-feira uma fonte com conhecimento do assunto.

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados