Connect with us

ENTRETENIMENTO

Jornalista Sandra Moreyra, da Globo, morre no Rio

Publicado

em

A jornalista Sandra Moreyra, uma das principais repórteres da Globo, morreu nesta terça-feira (10), no Rio de Janeiro. Ela tinha 61 anos e lutava contra um câncer.

Em outubro, a jornalista anunciou no Twitter que descobriu que estava novamente com câncer. “Novamente estou sendo posta à prova. Mais um tratamento pra fazer. Eu amo a vida. E vou em frente”, postou ela.

Com 40 anos de carreira, Sandra participou de coberturas jornalísticas de importantes momentos do país como a morte de Tancredo Neves, o Plano Cruzado, o acidente radioativo em Goiânia, com Césio 137, a tragédia do iate Bateau Mouche, a Rio-92 e a ocupação do Complexo do Alemão.

A que cobertura que considerava mais marcante foi o enterro dos mortos na chacina de Vigário Geral, em 1993.
“Na hora de escrever o texto, a matéria tinha uma carga de emoção tão forte, da dor daquelas pessoas, da violência, que pensei: ‘Tenho que botar isso nas palavras mais simples’. Quando a matéria entrou no ar, foi um soco no estômago. Ela estava muito mais forte do que eu poderia imaginar, porque consegui exatamente isso, lidar com a realidade sem querer ser mais do que ela, sem querer aparecer mais. No dia em que fiz aquela matéria foi quando senti: ‘Puxa vida, cresci. Que bom!”, relatou ao Memória Globo.

A repórter começou a carreira na Globo em Minas Gerais, na década de 1980. Logo depois, voltou para o Rio de Janeiro e passou a fazer reportagens para o RJTV, Jornal Nacional, Globo Repórter e Bom Dia Brasil. Entre 1999 e 2004, atuou na GloboNews na parte gerencial e administrativa do jornalismo.

Sandra Maria Moreyra nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de agosto de 1954, com jornalismo correndo nas veias. O avô, Álvaro Moreyra, era escritor, membro da Academia Brasileira de Letras, e dirigiu importantes revistas nos anos 1950, como Fon-Fon e Paratodos. Seu pai, Sandro Moreyra, fez história como um dos mais importantes cronistas esportivos do jornalismo brasileiro. Sua mãe, Lea de Barros Pinto, era professora.

Sandra era casada, tinha dois filhos, Cecilia e Ricardo, e um neto, Francisco. Ela era irmã da também jornalista e diretora da GloboNews, Eugenia Moreyra.

Em 1975, após um concurso, começou seu primeiro estágio, no Departamento de Pesquisa do Jornal do Brasil. Formou-se em 1976, foi contratada e, em 1978, foi para a reportagem geral do jornal, onde de fato começou sua carreira de repórter.

Em 1979, deixou o Jornal do Brasil para acompanhar o marido que trabalhava numa empresa de engenharia e foi transferido para a Argélia. Engravidou, voltou para o Brasil e começou a trabalhar numa agência de publicidade, onde teve seu primeiro contato com o vídeo.

Após passagens pela TV Aratu, na época afiliada da Globo, pela TV Bandeirantes e pela TV Manchete, entrou na Globo em 1984, como repórter em Minas Gerais. No ano seguinte, participaria ativamente da cobertura da eleição e morte de Tancredo Neves. No dia da morte do primeiro presidente civil eleito após a ditadura militar, Sandra Moreyra apareceu no Jornal Nacional acompanhando o cortejo fúnebre.

Em 1986, a jornalista deixou Minas e voltou para o Rio e se tornou uma das principais repórteres da editoria, cobrindo todo o tipo de pauta na região metropolitana.

Do Globo.com

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ENTRETENIMENTO

Câmara pede ao STF prisão de Danilo Gentili após humorista falar no Twitter em socar deputados

Publicado

em

A Câmara dos Deputados, a partir da procuradoria parlamentar, entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) em que pede a prisão do apresentador Danilo Gentili por postagens nas redes sociais. No fim de fevereiro, em uma publicação no Twitter, ele sugeriu que a população “entrasse” no Congresso “e socasse todo deputado” por causa da PEC de imunidade parlamentar.

A ação foi coordenada pelo deputado Luis Tibé (Avante-MG), responsável pela procuradoria da Câmara, a partir de um pedido do deputado federal Celso Sabino (PSDB-PA). Ambos são aliados do atual presidente da Casa, Arthur Lira. A tentativa é de equiparar a postagem de Gentili com a do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso após ameaçar ministros do STF.

Na última semana, Gentili criticou o Congresso em virtude da celeridade dada a tramitação da PEC da Imunidade, que tenta proteger parlamentares perante o Judiciário. A mensagem depois foi apagada.

“Eu só acreditaria que esse País tem jeito se a população entrasse agora na câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar”, escreveu o humorista.

Segundo Tibé, a ação movida em relação a Danilo Gentili não é contra a pessoa dele, mas a favor dos “mesmíssimos princípios de defesa da Democracia e da Constituição Federal consagrados pela unanimidade do Plenário do Supremo Tribunal Federal, no caso do deputado Daniel Silveira”

“Não podemos ter uma sociedade e uma Democracia com pesos e duas medidas. Se o Supremo Tribunal Federal, sabiamente, estabeleceu um limite para a livre manifestação do pensamento que é o respeito à integridade das instituições democráticas – princípio que a Câmara dos Deputados acolheu com margem de 364 votos – a Justiça brasileira não pode permitir que ninguém faça a incitação de ‘socar’ deputados”, disse o deputado, por meio de sua assessoria de imprensa.

Na segunda, sem mencionar se já foi notificado sobre a petição no STF, Gentili comentou que foi alvo de reclamações “justas” de alguns deputados.

“Eu fiz um tuíte que foi alvo de justas críticas por alguns deputados. Quem me segue sabe que sempre defendi as instituições. Aliás, minha briga com bolsonaristas foi justamente pelo fato de eu ser contrário aos pedidos criminosos de fechamento do STF e do Congresso”, afirmou.

O GLOBO entrou em contato com a assessoria de imprensa do SBT para obter um posicionamento do apresentador e do canal, mas não obteve respostas até o momento.

Extra Globo

Continue lendo

ENTRETENIMENTO

Roberto Carlos é vacinado contra a Covid-19 no Rio de Janeiro

Publicado

em

O cantor Roberto Carlos foi vacinado contra a Covid-19 nesta segunda-feira (1). O artista chegou dirigindo a um dos drive-thrus que fazem a vacinação na Zona Sul do Rio para pessoas com 79 anos até quarta-feira (3).

“Todo mundo tem que vacinar, deve vacinar, é importante. VACINA SIM”, escreveu o “Rei” em suas redes sociais.

Robertos Carlos é vacinado no Rio — Foto: Reprodução/Instagram

Também nesta segunda-feira, outros dois artistas se vacinaram contra a Covid-19: o cantor Ney Matogrosso e a atriz Betty Faria.

O cantor também fez uma postagem no Instagram. “Muito bem atendido, como todos que estavam lá”, escreveu, na rede social.

Ney Matogrosso é vacinado — Foto: Reprodução

Betty Faria deu entrevista para a GloboNews e criticou as festas realizadas durante carnaval. Ela afirmou ainda que situação da pandemia no Rio é uma tragédia.

Calendário de vacinação na semana

A Prefeitura do Rio vai vacinar até a próxima quarta (3) as pessoas com 79 anos.

Conforme o calendário divulgado, o atendimento nesta segunda-feira vai do meio-dia às 17h, enquanto que na terça-feira (2) e na quarta-feira (3), acontecerá das 8h às 17h.

O restante do calendário da semana será divulgado conforme forem chegando mais doses.

G1

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados