Connect with us

GERAL

Mais de 60 prefeituras não quitaram folhas de pagamento

Publicado

em

 

Os servidores públicos de pelo menos 66 municípios paraibanos começaram o ano de 2015 precisando fazer modificações em seus orçamentos, uma vez que não receberam do poder público municipal um dos pagamentos de final de ano com os quais contavam para aproveitar as datas festivas e quitar as contas que surgem logo nos primeiros dias de janeiro. Segundo estimativa da Federação dos Trabalhadores em Serviços Públicos Municipais do Estado da Paraíba (Fespem-PB), cerca de 30% das prefeituras paraibanas deixaram de pagar os salários do mês de dezembro ou o décimo terceiro dos servidores.

Só na região de Campina Grande, segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), quatro prefeituras quitaram o 13º salário, mas ainda não pagaram a folha do mês de dezembro, dentre elas a de Campina Grande, onde os servidores da Secretaria de Saúde reclamam que ainda não receberam os vencimentos do mês passado. “As cidades de Pocinhos e Soledade não pagaram a folha. No caso de Lagoa Seca, alguns servidores receberam e outros não, enquanto que em Campina Grande os servidores da Saúde estão sem o salário de dezembro e, aqueles que têm direito, também não receberam ainda o pagamento das férias”, informou o diretor de Comunicação do Sintab, Napoleão Maracajá.

Em outros municípios da Paraíba, a exemplo de Caaporã e Curral de Cima, na região da Mata paraibana, a situação é ainda mais complicada, uma vez que os servidores não receberam o salário de dezembro nem o décimo terceiro, conforme informou o presidente da Fespem, Mariano Vito da Silva.

“Já prevíamos que isso ia acontecer ao observar o comportamento de algumas prefeituras desde o início de dezembro. Há algumas situações em que os gestores deixaram de pagar as duas folhas, mas, na maioria dos casos, o que ocorreu foi que os prefeitos pagaram só o décimo terceiro e outros só o mês de dezembro”, destacou Mariano, acrescentando que o atraso reflete a falta de organização e interesse de algumas prefeituras. Segundo ele, a entidade também já está recebendo denúncias de gestores municipais que estão atrasando o pagamento das férias, benefício que é concedido a algumas categorias entre os meses de dezembro e janeiro.

Mariano informou também que a Fespem vai procurar o Ministério Público da Paraíba (MPPB) e pedir que o órgão ingresse com ações civis públicas, solicitando o bloqueio de recursos das prefeituras para garantir o pagamento dos servidores. “A partir dessa semana vamos, em conjunto com os sindicatos regionais, procurar as promotorias locais e pedir que os promotores ingressem com essas ações na Justiça para assegurar o direito dos servidores”, explicou o presidente da federação.

 

JPonline

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GERAL

Vazamento de dados: veja como saber se seu CPF foi usado por terceiros

Publicado

em

Os recentes vazamentos de dados de consumidores acenderam o alerta. Desde o mês passado, episódios de divulgação em massa expuseram na internet informações financeiras de milhões de brasileiros e abriram caminho para golpes virtuais.

De posse de dados pessoais, criminosos enviam contas falsas de telefone e de televisão por assinatura por e-mail, com nome completo e endereço, por exemplo. Nesse caso, basta o consumidor entrar diretamente no site da operadora e verificar a situação, sem acessar nenhum link suspeito.

Outros golpes podem trazer prejuízos reais, quando terceiros usam os dados para abrir contas bancárias, chaves Pix e fazer empréstimos em seu nome. No entanto, um sistema desenvolvido pelo Banco Central (BC) permite ao cidadão precaver-se contra fraudes ao consultar a situação financeira.

Vazamentos

No vazamento mais grave, foram expostas informações de mais de 220 milhões de brasileiros, vivos e mortos. Ao todo, foram divulgados 37 bases de dados que abrangem nome, Cadastro de Pessoa Física (CPF), endereço, foto, score (pontuação, em inglês) de crédito, renda, situação na Receita Federal e no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Um caminho para contornar a situação é o Registrato, sistema do BC que fornece um extrato das informações de uma pessoa com instituições financeiras.

A ferramenta permite a consulta online do histórico de pessoa física ou jurídica em bancos e financeiras. Entre as informações que podem ser levantadas, estão a abertura de contas bancárias (ativas ou inativas), dívidas (liquidadas ou em aberto) e envios de dinheiro para o exterior. As informações são da Agência Brasil.

Vazamento de dados: veja como saber se seu CPF foi usado por terceiros
Site do Banco Central – Foto: Ilustração

Confira abaixo como entrar no sistema Registrato. O processo tem várias etapas.

Cadastro

  1. O cidadão deve credenciar-se no site do Banco Central. É preciso fornecer CPF, data de nascimento e primeiro nome da mãe.
  2. No mesmo site, o usuário deve informar um banco em que tenha conta para validar o cadastro. O Banco Central comparará as informações prestadas com a base de dados da instituição financeira.
  3. O sistema fornecerá uma frase de segurança, que precisa ser copiada.
  4. O usuário deverá abrir, em outra aba do navegador, o site do banco informado anteriormente.
  5. Na página do banco, basta buscar pela opção “Registrato” e colar a frase de segurança. O sistema pedirá a senha de seis dígitos da conta corrente. Caso não faça o procedimento em até 48 horas, o cliente deve gerar uma nova frase de segurança no site do BC.
  6. Após validar a frase de segurança no site do banco, o usuário deve retornar ao site do BC e concluir o cadastramento, clicando no botão “Próximo”.
  7. No site do BC, o cliente deve digitar novamente o CPF, a frase de segurança e selecionar a instituição financeira. Em seguida, a página pedirá para informar um endereço de e-mail e criar uma senha de oito dígitos.
  8. Basta rolar a página e clicar no botão “Concluir credenciamento”. Caso o procedimento dê certo, aparecerá uma janela pop-up com a opção “Acessar Registrato”.

Consulta

  1. Concluído o cadastro, o cidadão pode entrar no site do Registrato e consultar o histórico de relacionamento com instituições financeiras. Basta usar o CPF e a senha criada anteriormente para fazer o login.
  2. A página do Registrato oferecerá as opções “Meus endividamentos”, “Meus relacionamentos financeiros” e “Minhas operações de câmbio”. Em cada um desses painéis é possível gerar um relatório.
  3. É preciso aceitar os termos de responsabilidade em cada painel. A tela exibirá todos os relatórios gerados nos últimos seis meses.
  4. Se o cliente quiser, pode baixar o relatório de operações cambiais em arquivo PDF, mas o arquivo leva até dois dias úteis para ser oferecido pelo Registrato.

Continue lendo

GERAL

Facebook removerá publicações falsas sobre vacinas e pode excluir perfis

Publicado

em

O Facebook afirmou, nesta segunda-feira (8), que proibirá a plataforma de incluir notícias não comprovadas sobre vacinas em geral, como, por exemplo, que são tóxicas ou causam autismo.

Afirmações de que o homem criou o coronavírus e que imunizantes são perigosos já foram proibidas em anúncios da rede social. 

A plataforma disse que removerá grupos, páginas e contas que compartilham as informações sem comprovação científica.

Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados