Connect with us

POLÍTICA

Mídia nacional destaca paraibanos cotados para ministérios e liderança do Governo e PMDB

Publicado

em

As eleições para presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, no início de fevereiro, não interferem apenas no comando das duas Casas. As disputas desencadearão uma série de mudanças também na Esplanada dos Ministérios. Nesse contesto dois paraibanos foram destaque na edição deste domingo (08) do jornal Folha de São Paulo, como potenciais candidatos ao Ministério da Saúde e Planejamento, bem como a líderes do Governo e do PMDB, são o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) e o senador Raimundo Lira (PMDB) respectivamente. Segundo o jornal, com a prisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o governo federal avalia que é necessário reacomodar as forças na base aliada e considera retirar da função André Moura (PSC-SE), um dos aliados mais próximos do peemedebista. As possibilidades são trocá-lo por Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) ou por Rogério Rosso (PSD-DF) com o objetivo de fortalecer a candidatura de Rodrigo Maia.

Ainda sobre Aguinaldo para garantir o apoio do PP a Rodrigo Maia (DEM-RJ) na disputa pela presidência da Câmara, o governo federal manterá a sigla à frente da pasta, mas cogita trocar Ricardo Barros (PR), cuja atuação não tem agradado ao presidente, por Ribeiro (PB), que já foi ministro e vinha articulando candidatura avulsa.

No Senado, a eleição de Eunício Oliveira (PMDB-CE) é dada como praticamente certa pelos senadores. Na Casa, a polêmica deve se restringir à liderança do PMDB. A escolha do atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para a cadeira não é consenso entre seus pares.

A equipe econômica defende que o ministro interino Dyogo Oliveira se torne efetivo, mas a definição dependerá do apoio do senador Romero Jucá (PMDB-RR), ex-ministro da pasta e líder do governo no Senado Federal. Caso a disputa pela liderança do PMDB se intensifique, é avaliada a possibilidade de acomodar Raimundo Lira (PB) ou Eduardo Braga (AM) na pasta, abrindo espaço para Renan Calheiros (AL) assumir a posição. Essa semana o Jornal Estação também trouxe a possibilidade de Lira vir a ser o novo Líder do PMDB no Senado.

Redação com Folha de SP

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POLÍTICA

Ex-vice-presidente da República Marco Maciel é diagnosticado com Covid-19, no DF

Publicado

em

O ex-vice-presidente da República Marco Maciel foi diagnosticado com Covid-19. Neste sábado (6), ele foi levado ao hospital DF Star, em Brasília, para uma bateria de exames, que constataram a doença.

De acordo com a esposa do político, Ana Maria Maciel, ele está sendo tratado em casa, com orientação médica. “Apesar do susto , está tudo controlado e ele está estável. Estamos confiantes que a vacina tomada, não deixe agravar”, afirma.

Marco Maciel recebeu a primeira dose da vacina da AstraZeneca/Oxford. A segunda dose, só será aplicada entre o final do mês de abril ou começo de maio.

O ex-vice-presidente, completou 80 anos em agosto de 2020, e sofre de Alzheimer desde 2014.

G1

Continue lendo

POLÍTICA

Lula é o nome mais forte para derrotar Bolsonaro e espantar o fascismo do Brasil, aponta pesquisa

Publicado

em

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi mantido como preso político durante 580 dias pelo ex-juiz Sérgio Moro para garantir a ascensão da extrema-direita no Brasil, hoje é o nome mais forte para vencê-lo. “Em pesquisa de opinião que mede o potencial de voto de dez possíveis candidatos nas eleições presidenciais de 2022, apenas o ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva demonstra ter mais capital político que o atual ocupante do Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro”, aponta reportagem de Daniel  Bramatti, no jornal Estado de S. Paulo.

“No levantamento, feito pelo Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria), novo instituto de pesquisas da estatística Márcia Cavallari (ex-Ibope), 50% dos entrevistados disseram que votariam com certeza ou poderiam votar em Lula se ele se candidatasse novamente à Presidência, e 44% afirmaram que não o escolheriam de jeito nenhum. Bolsonaro aparece com 12 pontos porcentuais a menos no potencial de voto (38%), e 12 a mais na rejeição (56%)”, aponta ainda o texto. Atrás de Lula e Bolsonaro no ranking de potencial de voto estão Sérgio Moro (31%), Luciano Huck (28%), Fernando Haddad (27%), Ciro Gomes (25%), Marina Silva (21%), Luiz Henrique Mandetta (15%), João Doria (15%) e Guilherme Boulos (10%).

Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados