Connect with us

PARAÍBA

Mobilizações sindicais param trens, ônibus e universidades na Paraíba

Publicado

em

Todos os trens que circulam na Região Metropolitana de João Pessoa e parte dos ônibus que atendem a população da capital estão sem circular nesta quinta-feira (22) durante o Dia Nacional da Mobilização, promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) com apoio da Frente Brasil Popular e Frente Brasil Sem Medo. Dois pontos de protestos acontecem na Estação Ferroviária, no Varadouro, e em frente à empresa de ônibus que concentra o maior número de linhas da cidade. As ações acontecem desde as 5h.

As aulas em parte da rede pública e na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) também estão suspensas.

Manifestantes bloquearam o portão da garagem da principal empresa de transporte público que atende à cidade, tocando fogo em pneus. Até as 6h30, nenhum ônibus dessa empresa havia saído da garagem.

Um protesto também tocou fogo em pneus no trilho dos trens da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) na entrada e na saída da estação de João Pessoa, no bairro do Varadouro desde as 5h. Por conta disso, a circulação dos trens pela Região Metropolitana de João Pessoa foi paralisada. Segundo a CBTU, há uma negociação para que os trens voltem a funcionar às 9h.

O presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo, informou que nem todas as entidades e órgãos vão aderir à paralisação, no entanto, com as mobilizações que vão acontecer durante o dia na cidade de João Pessoa, as vias serão interditadas e muitos trabalhadores não vão conseguir chegar ao trabalho ou ao seu destino final.

Segundo Paulo Marcelo, a paralisação acontece em todo o país em protesto aos “projetos que tramitam no congresso e que afetam diretamente os direitos da sociedade”. O Sindicato dos Motoristas da Paraíba não confirmou paralisação da categoria em João Pessoa. Segundo o sindicato, os serviços do transporte público deveriam funcionar normalmente.

Linhas de trens urbanos da Grande João Pessoa foram bloqueadas por manifestantes (Foto: Walter Paparazzo/G1)Linhas de trens urbanos da Grande João Pessoa foram bloqueadas por manifestantes (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Atos programados para todo o dia
Também estão programados atos nas imediações do Parque da Lagoa e, a partir das 15h, um novo ato deve se formar no Centro de João Pessoa, envolvendo as categorias de professores da rede estadual, municipal e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Segundo o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado, a paralisação é nacional e os professores da rede municipal e estadual da Paraíba devem aderir ao ato nesta quinta-feira.

A Secretaria de Estado da Educação (SEE) informou que as escolas públicas que paralisarem as atividades devem repor as aulas para que os alunos não sejam prejudicados e para cumprir os 200 dias letivos previstos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Em assembleia que aconteceu nessa quarta-feira (21), na UFPB, ficou definido que a instituição também vai aderir à paralisação geral, com aulas suspensas nesta quinta-feira (22).

Segundo representantes da Frente Brasil Popular, “o objetivo é chamar a atenção das pessoas para os ataques que a classe trabalhadora está sofrendo, com a ameaça de corte de direitos sociais e trabalhistas, com as propostas de reformas da previdência, tributária e da CLT, além de uma série de projetos de lei que tramitam no congresso que estão em choque com os interesses da população”, informou em nota.

 Campina Grande
Em Campina Grande, uma mobilização está sendo organizada para as 14h na Praça da Bandeira, no Centro, e deve receber delegações de cidades do seu entorno. De acordo com  Frente Brasil Popular, os manifestantes vão levar faixas, cartazes e devem distribuir panfletos, “na intenção de dialogar com a população sobre a perda de direitos e as consequências do que vem sendo imposto pelo governo de Michel Temer”. Está confirmada paralisação em Campina Grande da educação estadual, da Universidade Federal de Campina Grande e da Universidade Estadual da Paraíba.

Manifestantes tocaram fogo em pneus no portão da garagem de uma empresa de ônibus de João Pessoa (Foto: André Resende/G1)Manifestantes tocaram fogo em pneus no portão da garagem de uma empresa de ônibus de João Pessoa (Foto: André Resende/G1)
 
G1

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PARAÍBA

Com recorde de internação, Paraíba registra mais 1.218 casos e 23 óbitos por covid-19 neste domingo

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, neste domingo (07), 1.218 casos de Covid- 19. Entre os confirmados hoje, 61 (5%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.157 (95%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 229.194 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 670.311 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Também foram confirmados 23 novos óbitos desde a última atualização, sendo 18 deles nas últimas 24h. Os óbitos ocorreram entre os dias 03 e 07 de março de 2021, sendo 02 deles em hospitais privados e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 4.679 mortes. O boletim registra ainda um total de 165.212 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 679 novos casos, o que corresponde a 55,8% dos casos registrados neste domingo. São eles: João Pessoa, com 408 novos casos, totalizando 61.376; Sousa, com 93 novos casos, totalizando 5291; Campina Grande, com 91 novos casos, totalizando 21.134; Santa Rita, com 50 novos casos, totalizando 5.586; Cabedelo, com 37 novos casos, totalizando 5.630. 

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 07/03/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até este domingo, 206 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 23 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Alagoa Grande (1), Bayeux (3), Cajazeiras (1), Campina Grande (4), Catolé do Rocha (1), Gado Bravo (1), Guarabira (1), Itabaiana (1), João Pessoa (6), Monteiro (1), Patos (1), Santa Rita (1) e São Bento (1). As vítimas são 11 homens e 12 mulheres, com idades entre 28 e 91 anos. Cardiopatia foi a comorbidade mais frequente e três não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 75%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 88%. Em Campina Grande estão ocupados 70% dos leitos de UTI adulto e no sertão 80% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro estadual de regulação hospitalar, 73 pacientes foram internados nas últimas 24h, este foi o maior número de internações ao dia desde o início da pandemia.

Nas últimas 24h também ocorreu a ampliação de 69 leitos Covid. Foram 15 leitos de UTI e 31 de enfermaria na 1ª Macrorregião; Na 2ª Macrorregião, 20 leitos de UTI, sendo 10 no Hospital de Clínicas e 10 no Hospital Universitário Alcides Carneiro, e 3 leitos de Enfermaria no Hospital de Clínicas.  

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 192.678 doses. Até o momento, 142.466 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 50.212 com a segunda dose da vacina.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios e ocupação de leitos estão disponíveis em: http://www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus

Continue lendo

PARAÍBA

20ª avaliação do Plano Novo Normal aponta 211 municípios paraibanos em bandeira laranja

Publicado

em

Secretaria Estadual de Saúde (SES) publicou, na tarde deste sábado (06), a análise situacional e evolutiva da Pandemia da Covid-19 no Estado da Paraíba. A 20ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba (PNNPB) passa a vigorar nos 223 municípios paraibanos a partir desta segunda-feira (8) e aponta 95% (211) dos municípios paraibanos em bandeira laranja; 4% (8 municípios) figuram em bandeira vermelha e apenas 4 municípios da Paraíba na bandeira amarela, uma redução de 97% em relação à avaliação anterior, a menor participação desta bandeira desde o início dos ciclos avaliativos do PNNPB.

A avaliação quinzenal acontece desde junho de 2020 e utiliza como base indicadores a quantidade de casos de Covid-19, mortalidade, índice de adesão ao isolamento social e ocupação de leitos hospitalares. A avaliação em cores varia do vermelho ao verde, sendo que o vermelho é a mobilidade impedida e verde mobilidade livre. As avaliações e orientações estão disponíveis em https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/coronavirus/novonormalpb

O documento traz também as recomendações necessárias para contenção de sua recrudescência considerando o cenário de rápida deterioração epidemiológica e das capacidades de oferta do Sistema Único de Saúde paraibano. O secretário executivo de Gestão de Unidades de Saúde, o médico sanitarista Daniel Beltrammi, reforça que “a literatura científica internacional aponta que os reflexos da adoção de comportamentos de alto risco, como o abandono do uso de máscaras e a ocorrência de atividades com grandes aglomerações, majoritariamente entre a população das faixas etárias de 19 a 59 anos, afetam os indicadores utilizados pelo Plano Novo Normal no prazo de uma semana, o que permite correlacionar a piora ou a melhora do comportamento social, quanto à adoção de medidas protetivas, com a deterioração ou melhora do contexto epidemiológico e das capacidades do sistema de saúde, na forma de maiores ou menores ocupações dos leitos hospitalares para os cuidados à Covid-19 na Paraíba.”

O secretário aponta também que as medidas adotadas pelo Governo do Estado da Paraíba, por meio do Decreto 41.053 de 23/02/2021, que passou a vigorar a partir do dia 24/02/2021 e vai até o dia 10/03/2021, dedicadas a atenuar os riscos oriundos da rápida deterioração do cenário epidemiológico da pandemia na Paraíba, “mostram-se de extrema importância sanitária e social, posto que o crescimento rápido e expressivo do número de casos (mais de mil novos casos divulgados ao dia), internações hospitalares (mais de 70 novas internações ao dia) e óbitos (mais de 20 óbitos divulgados ao dia), são prejuízos de alta relevância para toda Paraíba.”

Como medidas para conter o avanço da doença por todo o estado, Beltrammi afirma que os esforços devem ser mantidos e dependem da decisão de cada uma das pessoas em seguir protegendo suas vidas por meio dos métodos e comportamentos reconhecidamente efetivos para conter a disseminação do novo coronavírus. O secretário destaca como ação de governo as operações de fiscalização que objetivam orientar a população e reduzir aglomerações. “Está em atividade a Operação Previna-se, esforço conjunto das forças de segurança pública, Procons e vigilâncias sanitárias, para que se possam ampliar as medidas de fiscalização e acompanhamento das medidas propostas pelo Decreto do Governo do Estado da Paraíba, já sendo realizadas mais de uma centena e meia de ações em todo estado, com especial destaque para os municípios paraibanos em bandeiras laranjas e vermelhas”, pontuou.

Nesta 20ª avaliação pode-se constatar que a Paraíba tem em média uma internação hospitalar a cada 20 minutos em razão dos agravos produzidos pelo Novo Coronavírus, sendo importante mais uma vez ressaltar que a Covid-19 é uma doença 100% evitável, uma vez que o uso de máscaras, a manutenção do distanciamento social evitando-se aglomerações e a adequada higienização das mãos impedem o contágio pelo vírus de forma efetiva.

Entre 17 a 23 de fevereiro, o Centro Estadual de Regulação Hospitalar registrou 298 internações por covid-19 nos leitos de referência para Covid-19 nos hospitais públicos em toda a Paraíba. Entre 24 de fevereiro e 02 de março, 398 internações foram realizadas.

Nos últimos dias, a Secretaria Estadual de Saúde ativou mais 140 leitos exclusivos para tratar pacientes com quadros moderados e graves da Covid-19. Outros 147 serão abertos nos próximos 15 dias, totalizando mais 287 leitos ativos para a Covid-19. Entre estes, 287 novos leitos ativos estão 78 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 161 de enfermaria e 48 unidades de decisão clínica. Tais leitos se somam aos já existentes na rede de referência para covid-19. Daniel chama atenção que apesar do esforço, “nenhum leito hospitalar novo substitui em importância as medidas de proteção à vida. Profissionais de saúde estão exaustos, uma vez que atuam na linha de frente há mais de 12 meses.”

Na avaliação do secretário, “os últimos 15 dias foram marcados por importante piora da situação de pandemia na Paraíba. Mais do que nunca devemos o quanto possível evitar adoecermos pela Covid-19, pois ao fazer isso você salva vidas, salva o SUS paraibano e a toda a Paraíba!”. Ele reforça que o coronavírus depende de nossos encontros e convívio com proximidade para nos fazer mal, por isso a decisão de manter-se seguro e protegido é fundamental.

Vacinação – O documento também traz uma avaliação sobre a campanha de vacinação no estado, que hoje já dispõe de doses para vacinar idosos acima de 75 anos, profissionais de saúde, a população indígena em territórios demarcados, idosos e pessoas com deficiência vivendo em instituições.

Na avaliação do secretário, “a chegada das vacinas representa uma importante ferramenta para combatermos este inimigo invisível, mas não pode ser motivo para que abandonemos outras medidas protetivas fundamentais como o uso de máscaras, manutenção do distanciamento social e lavagem das mãos”. As vacinas só atingem bons níveis de proteção pelo menos 60 dias após a 1ª dose, com a segunda dose aplicada neste intervalo (28 dias ou até 90 dias após a 1ª dose), e por isso mesmo é preciso seguir utilizando todas as medidas protetivas conhecidas, para que se evite adoecimentos e quadros graves de Covid-19, antes mesmo da aplicação da 2ª dose e da conclusão destes 60 dias.

 

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados