Connect with us

POLÍTICA

Mulher do senador Telmário Mota se entrega à Polícia Federal em Roraima

Publicado

em

A médica Suzete Macedo de Oliveira se entregou na Polícia Federal (PF), por volta das 10h, desta quarta-feira (25), acompanhada pelo marido, o senador de Roraima Telmário Mota (PDT). Ela era considerada foragida desde a sexta (20) quando teve a prisão decretada pela Justiça.

Em entrevista ao G1, o senador Telmário Mota reafirmou que não se envolve em assuntos relacionados ao trabalho da esposa, mas garantiu que a defesa já recorreu do mandado de prisão. A Polícia Federal ainda não informou onde a médica deve aguardar a decisão da Justiça.

“Para não criar nenhum constrangimento e também por respeito à Polícia Federal, os advogados entenderam que seria muito melhor ela [Suzete] se apresentar e esperar a resposta dos habeas corpus que foram impetrados”, declarou Mota, acrescentando que a prisão da mulher “não foi jurídica, mas política”.

Suzete foi condenada a seis anos e oito meses de prisão por envolvimento no esquema de desvio de verbas públicas conhecido como ‘escândalo dos gafanhotos’.

Suzete Mota (Foto: Emily Costa/ G1 RR)PF ainda não informou para onde Suzete
deve aguardar decisão da Justiça
(Foto: Emily Costa/ G1 RR)

Sobre a mulher ter ficado cinco dias foragida, o senador afirmou que ela só se apresentou nesta quarta porque os advogados consideraram arbitrária o pedido de prisão.

“Quiseram criar um constrangimento. Mas agora, ela está tranquila e vai esclarecer tudo o que houve”. O senador afirmou que não soube onde ela ficou durante os cinco dias em que esteve foragida. “Eu estava em Brasília”, declarou.

A mulher do senador teve a prisão decretada pela 2ª Vara da Justiça Federal em Roraima a pedido do Ministério Público Federal (MPF), após ela ter um pedido de habeas corpus negado no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.

Junto com o mandado de Suzete foram expedidos mais seis determinações. Os acusados foram presos no último dia 20.

O ex-governador Neudo Campos (PP) e marido da govenadora do estado Suely Campos, apontado pela Polícia Federal como o líder do esquema de desvio de verbas, também teve a prisão decretada. Ele se entregou à Polícia Federal nessa terça, após cinco dias foragido.

‘Escândalo dos Gafanhotos’
Segundo as investigações da operação Praga no Egito, no ano de 2002 foram desviados R$ 70 milhões oriundos de repasses de convênios da União ao estado de Roraima. O esquema gerou dano ao erário e enriquecimento ilícito de terceiros.

A corrupção acontecia da seguinte forma: pessoas comuns eram aliciadas como ‘gafanhotos’, para que seus nomes fossem inseridos na folha de pagamento do DER ou do estado em troca de uma ajuda financeira irrisória. Em seguida, procuradores dos ‘gafanhotos’ sacavam os salários junto à empresa e entregavam o dinheiro a deputados ou conselheiros de contas beneficiados e designados pelo ex-governador.

G1

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POLÍTICA

Ibope em Belém: Edmilson, do Psol, abre vantagem sobre bolsonarista

Publicado

em

São Paulo – Pesquisa Ibope divulgada no início da noite deste sábado mostra o ex-prefeito de Belém e candidato do Psol na cidade, Edmilson Rodrigues, abrindo uma vantagem de 18% em relação a seu adversário, Delegado Eguchi (Patriota), em termos de votos válidos. Ele tem 58% contra 42% do postulante bolsonarista.

Em comparação com a sondagem anterior, divulgada no dia 21, Edmilson foi de 52% para 58%, e Eguchi passou de 48% para 42%. Em votos totais, o candidato do Psol tem agora 51% contra 37% do adversário do Patriota. Votos em branco e nulos totalizam 10%.

O Ibope ouviu 602 eleitores em Belém, entre os dias 26 e 28 de novembro, e o nível de confiança estimado é de 95%. A margem de erro estimada é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

Como destaca matéria do Brasil de Fato, os últimos levantamentos divulgados mostravam uma disputa acirrada pela prefeitura de Belém até agora. Na última pesquisa da TV Liberal, afiliada da TV Globo, Edmilson Rodrigues aparecia com 45% das intenções de voto contra 43% do Delegado Eguchi. Na sondagem do RealTime Big Data divulgada no Portal R7, na quinta-feira (26), o psolista tinha 44% e o candidato do Patriota, 42%.

Esquerda e Bolsonaro em Belém

Edmilson começou sua carreira como deputado estadual pelo PT, eleito em 1986 e reeleito em 1990. Em 1996, foi eleito prefeito de Belém e conseguiu um novo mandato em 2000. Foi para o PSOL em 2005 e se elegeu deputado estadual em 2010 e deputado federal em 2014 e 2018. Ele concorre com uma aliança que envolve PT, PDT, PCdoB, PCB, UP e Rede. No segundo turno, ganhou apoio também do candidato do PSB, Cássio Andrade.

Já o Delegado Eguchi se notabilizou por participar da operação Lava Jato no Pará, concorrendo a deputado federal em 2018, pelo PSL, e não se elegendo. Foi a grande surpresa no primeiro turno, já que as pesquisas indicavam a passagem de José Priante (MDB), do grupo da família Barbalho. Conta com o apoio explícito do presidente Jair Bolsonaro.

RBA

 

Continue lendo

POLÍTICA

Estudo: principais disseminadores de fake news são deputados e blogueiros bolsonaristas

Publicado

em

Monitoramento da DAPP/FGV no Twitter mostrou que os principais impulsionadores de notícias falsas no Twitter sobre fraude eleitoral foram o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e bolsonaristas que são alvos de inquéritos que investigam disseminação de fake news.  A informação foi revelada pela coluna Painel, da Folha de São Paulo. A pesquisa foi feita entre os dias 15 e 26 de novembro.

O levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas revela que o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que foi preso duas vezes por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), lidera a lista. Isso porque Eustáquio está proibido de usar as redes. Além de fraudes eleitorais, ele disseminou fake news sobre o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, que chegaram a ser citadas por Celso Russomanno (Republicanos) em debate no primeiro turno promovido pela Folha de São Paulo.

Outros parlamentares que aparecem na lista são os filhos de Bolsonaro e Carla Zambelli (SP), Bia Kicis (DF), Filipe Barros (PR) e Daniel Silveira (RJ).

Revista Fórum

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados