Connect with us

BRASIL

Na Globo, Cássia Kis faz desabafo: “O presidente é quase nosso empregado”

Publicado

em

Vários artistas fizeram um desabafo formal contra a classe política durante a premiação Melhores do Ano, exibida pelo “Domingão do Faustão”, da Globo, neste domingo (13). Cássia Kis, Alexandre Nero e Tonico Pereira promoveram os discursos mais acalorados. Os três atores são (ou foram) colegas de elenco na novela “A Regra do Jogo”.

O apresentador Fausto Silva cedeu espaço no fim da premiação para que cada um dos artistas falasse o que desejava para 2016. Cássia Kis, então, pegou o microfone, discursou em tom exaltado e cobrou uma nova postura do governo brasileiro.

“Eu quero que o governo se pergunte finalmente qual é a função dele. Para quê ele existe? Para trazer educação! Para finalmente não colocar ninguém na cadeia, punindo quem é ignorante, e é ignorante por causa do governo. Ele nos faz ignorantes e não pode mais fazer isso. Então, ele tem que se perguntar qual é a função dele? Para quê ele existe? Nós pagamos o governo, o presidente é quase o nosso empregado, é a nós que ele deve todas as obrigações dele”, esbravejou a atriz, visivelmente emocionada.

Minutos depois de ouvir as palavras de Cássia Kis, Alexandre Nero resolveu se manifestar pedindo para que as pessoas deem menos opinião e tenham mais conhecimento. “Eu acho que a gente precisa de menos opiniões e mais conhecimento. Vamos atrás de conhecimento, saber das coisas”, afirmou o ator, com a expressão fechada.

Embora não tenha citado nomes, muitos internautas especularam nas redes sociais que a alfinetada de Nero foi com endereço certo: “Cássia Kis”.

Mais cedo, o ator que interpreta o bandido Romero em “A Regra do Jogo” já havia respondido a uma crítica feita por Fausto Silva em relação à crise social, política e econômica no Brasil.

O apresentador havia dito: “Esse país não pode ficar do jeito que está. O país da corrupção, o país que não tem nada de educação, não tem nada de infraestrutura, não tem assistência médica, tem uma violência absurda. Não pode ficar o país ao Deus dará, nessa bagunça que está”. Alexandre Nero não se conteve e retrucou. “Só queria lembrar que não é de hoje que isso acontece. O país faz 500 anos… Vamos ter consciência, clareza e, mais do que tudo, tolerância com o diferente, com o próximo. Para que a gente possa ouvir as ideias diferentes. Porque a gente sempre repudia o que parece diferente do que a gente quer ou almeja. Vamos respeitar o próximo. Acho que isso é a coisa mais importante”.

O ator Tonico Pereira também entrou na discussão, mas optou por direcionar as críticas ao Legislativo, onde, segundo ele, existe uma quadrilha. “Eu quero uma Câmara dos Deputados que, fundamentalmente, represente o povo brasileiro, porque a culpa não está só no Executivo, não. Temos uma quadrilha [no Legislativo]”, disparou Tonico. “Eu quero que a Comissão de Ética não adie novamente a votação para 2017”, emendou a atriz Fernanda Torres, ao se referir à votação que irá decidir pelo afastamento ou não do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de mentir sobre uma conta secreta na Suíça.

Em entrevista ao UOL, Fausto Silva elogiou a atitude dos atores que falaram da situação do país. “Programa ao vivo sempre tem isso, depende da fase do país. O país está vivendo um dilema, as pessoas têm que se posicionar. Todo mundo fica em cima do muro, uma hora o muro cai”, disse o apresentador.

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

BRASIL

Após ação em Criciúma, Cametá, no Pará, vive madrugada de terror com assalto a banco

Publicado

em

Um dia depois do mega assalto em Criciúma, em Santa Catarina, um grupo armado roubou diversas agências bancárias em Cametá, no Pará, na madrugada desta quarta-feira (2).

Imagens que circulam nas redes sociais mostram que criminosos utilizaram dezenas de reféns como escudo humano para se locomover pela cidade. De acordo com o UOL, moradores estavam em bares quando foram abordados.

Segundo o prefeito da cidade, Waldoli Valente, um jovem morreu no confronto. “Rogamos ainda a Deus que conforte a família do jovem que perdeu a vida de forma covarde”, escreveu no Facebook. Ele informou ainda que a Polícia Militar foi acionada para conter o assalto.

 

A Polícia Federal está investigando se o mega assalto que ocorreu em Criciúma, na madrugada desta terça-feira (1º), teve participação de membros do PCC (Primeiro Comando da Capital).

A ação na cidade de Santa Catarina é uma cena que vem se repetindo em diversas cidades do interior do país. Criminosos agem em grupos grandes, usam carros de primeira linha, explosivos e armamentos pesados.

Revista Fórum

Continue lendo

BRASIL

STF julga a partir de 11 de dezembro obrigatoriedade da vacinação contra Covid-19

Publicado

em

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar em plenário virtual a partir da sexta-feira da próxima semana, dia 11 de dezembro, duas ações que tratam da obrigatoriedade da vacinação contra Covid-19, conforme o relator dos processos, ministro Ricardo Lewandowski.

Em uma das ações ajuizada em outubro, o PDT quer garantir a competência de Estados e municípios de promover a vacinação obrigatória contra o novo coronavírus, diante das declarações do presidente Jair Bolsonaro contrárias à eventual exigência da adoção do imunizante.

Em outra, o PTB –partido aliado de Bolsonaro no Congresso– quer que o Supremo não determine essa obrigação de se vacinar.

Na sexta-feira desta semana, dia 4, o STF vai apreciar outra ação em julgamento virtual referente ao Covid-19: se o governo tem de ser obrigado a comprar 46 milhões de doses da vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac, a CoronaVac, que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

Bolsonaro vetou o acordo para comprar essas doses e chegou a colocar em dúvida publicamente a eficácia desse imunizante.

No chamado plenário virtual, os ministros do STF apresentam seu voto por um sistema remoto e não há transmissão ao vivo da sessão.

Se um ministro quiser, ele pode pedir para que o julgamento ocorra no plenário presencial –o que, na prática, recomeça a apreciação do caso. Durante a pandemia, o plenário presencial tem sido substituído por sessões virtuais, mas neste caso, todos ministros se reúnem ao mesmo tempo e a sessão é transmitida ao vivo.

Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados