Connect with us

MUNDO

O ciclista de 105 anos que percorreu 22 km em uma hora e desafia a velhice Comente

Publicado

em

Aos 105 anos, o ciclista amador francês e detentor do recorde mundial Robert Marchand está mais apto aerobicamente falando do que a maioria das pessoas de 50 anos – e parece ficar cada vez mais em forma à medida que envelhece, segundo um novo estudo revelador sobre sua fisiologia.

Esse estudo, que apareceu na edição de dezembro do The Journal of Applied Physiology, pode ajudar a reescrever expectativas científicas sobre como nossos corpos envelhecem e o que é possível para qualquer um de nós, sem restrições de idade, em questões atléticas.

Muitas pessoas começaram a ouvir falar de Marchand no mês passado quando ele estabeleceu um recorde mundial em uma hora de ciclismo, evento em que alguém pedala a maior distância possível em uma pista coberta por 60 minutos.

Marchand percorreu mais de 22,5 quilômetros, estabelecendo um ponto de referência global para pessoas com 105 anos ou mais. Essa classificação precisou ser criada especificamente para acomodá-lo. Até então, ninguém dessa idade havia tentado o feito.

Marchand, que nasceu em 1911, possuía o recorde de uma hora para ciclistas com 100 anos ou mais, que estabeleceu em 2012.

Foi quando se preparava para a prova que chamou a atenção de Veronique Billat, professora de Ciências do Exercício na Universidade de Evry-Val d’Essonne, na França. Em seu laboratório, Veronique e seus colegas estudam e treinam vários atletas profissionais e amadores.

Ela se interessou principalmente pelo programa de exercícios de Marchand e se, alterando o programa, seria possível aumentar sua resistência e sua velocidade.

ADREES LATIF/REUTERS

Dá para envelhecer e melhorar sua marca?

A sabedoria convencional de ciências do exercício sugere que é muito difícil aumentar a aptidão física aeróbica de maneira significativa depois da meia idade. Em geral, o VO2 máximo (ou volume de oxigênio máximo), uma medida de quão bem nossos corpos usam o oxigênio e o indicador científico de aptidão física mais amplamente aceito, começa a declinar por volta dos 50 anos, mesmo que a pessoa se exercite com frequência.

Veronique, no entanto, tinha descoberto que se atletas mais velhos fizessem exercícios intensos, poderiam aumentar seu VO2 máximo. Ela nunca havia, no entanto, tentado esse método em uma pessoa centenária.

Mas Marchand foi receptivo. Com apenas pouco mais 1,50 metro de altura e cerca de 52 quilos, ele conta que não se exercitava regularmente enquanto trabalhava como motorista de caminhão, jardineiro, bombeiro e lenhador. Mas desde que se aposentou, começou a andar de bicicleta na maioria dos dias, em pistas cobertas ou nas estradas perto de sua casa em um subúrbio de Paris.

Quase todos os seus percursos eram feitos em um ritmo de lazer.

Veronique mudou essa rotina. Primeiro, ela e seus colegas levaram Marchand para o laboratório de desempenho humano da universidade.

Eles testaram seu VO2 máximo, sua frequência cardíaca e outros aspectos da aptidão cardiorrespiratória. Todos estavam saudáveis e bem acima da média para uma pessoa de sua idade. Marchand também não tomava nenhum remédio.

Ele então estabeleceu o recorde mundial para pessoas de 100 anos ou mais, percorrendo 22,5 quilômetros.

Novo treinamento

Depois, Veronique fez com que começasse um novo regime de treinamento. Sob esse programa, cerca de 80% de seus exercícios semanais eram feitos em uma intensidade fácil, o equivalente a 12 ou menos em uma escala de um a 20 em que 20 é o exercício quase insuportavelmente extenuante, segundo o julgamento de Marchand. Ele não usou um monitor de frequência cardíaca.

Os outros 20% de seus exercícios eram desempenhados em uma intensidade difícil de 15 ou mais na mesma escala. Para esses, ele foi instruído a aumentar a frequência de suas pedaladas para entre 70 e 90 voltas por minuto, comparado com 60 durante as corridas fáceis (um computador de ciclismo forneceu a informação). As corridas raramente duravam mais de uma hora.

Marchand seguiu esse programa por dois anos. Então, tentou melhorar seu próprio recorde mundial de uma hora.

Primeiro, porém, Veronique e seus colegas mediram novamente todos os marcadores fisiológicos que haviam testado dois anos antes.

Eles descobriram que o VO2 máximo de Marchand estava cerca de 13% mais alto do que antes, comparável com a capacidade aeróbica de uma pessoa saudável de 50 anos na média. Ele também melhorou seu poder de pedalada, aumentando essa medida em quase 40%.

Não foi surpresa, portanto, que seu desempenho no ciclismo também tenha melhorado consideravelmente. Durante sua tentativa de estabelecer o recorde mundial, pedalou por pouco mais de 27 quilômetros, cinco a mais do que havia percorrido durante seu primeiro recorde.

Na época, ele estava com 103 anos.

Esses dados sugerem fortemente que “podemos melhorar nosso VO2 máximo e nosso desempenho em qualquer idade”, afirma Veronique.

É genético?

Há algumas questões, no entanto. Marchand pode ser sui generis, com uma constelação de genes vencedora que lhe permite viver além dos 100 anos sem debilidades e responder muito bem ao treinamento.

Por isso, seu sucesso não pode nos dizer se essa mistura de 80/20 de exercícios fáceis e intensos é necessariamente ideal ou mesmo aconselhável para o resto das pessoas que estão envelhecendo. (Por favor, consulte seu médico antes de começar ou mudar sua rotina de exercícios.)

O estilo de vida também faz diferença. Marchand é “muito otimista e sociável”, explica Veronique, “e tem muitos amigos”. Vários estudos sugerem que laços sociais fortes estão ligados a uma vida mais longa. Sua dieta também é simples, iogurtes, sopas, queijo, frango e um copo de vinho tinto no jantar.

Mas, para aqueles que esperam envelhecer bem, seu exemplo é inspirador e, segundo Veronique, ainda está incompleto. Desapontado com o recorde que estabeleceu no mês passado, ele acredita que pode melhorar a distância, conta ela, e deve tentar de novo, talvez quando estiver com 106 anos.

UOL

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

BRASIL

New York Times diz que Moro corrompeu o sistema judicial e é responsável direto pelo caos que o Brasil vive hoje

Publicado

em

O jornal The New York Times, o mais influente do mundo, diz que o ex-juiz Sérgio Moro é responsável direto pelo caos no Brasil, por ter corrompido o sistema de justiça no País. “O Brasil vive várias crises ao mesmo tempo – a situação catastrófica da saúde, a economia frágil e a polarização política extrema. Agora podemos adicionar a corrupção do sistema judicial à lista. Não precisava ser assim. Os brasileiros tinham grandes esperanças há sete anos, quando um jovem magistrado chamado Sérgio Moro lançou uma operação anticorrupção chamada Lava Jato, ou Operação Lava Jato”, diz o artigo assinado pelo cientista político e diretor-executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe (Opalc) da universidade Sciences Po de Paris, Gaspard Estrada.

“A Operação Lava Jato provou que a justiça poderia acabar com a corrupção endêmica no Brasil ou foi apenas um conto de fadas que velou outros interesses políticos? Nas últimas semanas, o lado negro do Lava Jato foi desnudado, e um sentimento de profundo desencanto com a chamada justiça curitibana, que leva o nome da capital do estado do Paraná, onde a força-tarefa estava sediada, se espalhou por todo o país. A Operação Lava Jato foi considerada a maior investigação anticorrupção do mundo, mas se tornou o maior escândalo judicial da história do Brasil. Quando a força-tarefa foi dissolvida em 1º de fevereiro, quase ninguém saiu às ruas ou às redes sociais para lamentar seu fim”, apontou ainda Estrada.

O cientista político também responsabiliza Moro diretamente pela destruição do Brasil. “Em vez de erradicar a corrupção, obter maior transparência na política e fortalecer a democracia, a agora notória Operação Lava Jato abriu o caminho para Jair Bolsonaro chegar ao poder após eliminar seu principal rival, Lula, da corrida presidencial. Isso contribuiu para o caos que o Brasil vive hoje”, escreveu.

Brasil 247

 

Continue lendo

MUNDO

Robô ‘Perseverança’ pousa em Marte e manda primeiras imagens

Publicado

em

A sonda Perseverance, da Nasa, pousou em Marte na tarde desta quinta-feira, 18, sete meses depois de partir da Terra.

O Perseverance Mars rover pousou com sucesso na cratera Jezero do planeta vermelho e mandou as primeiras imagens. (fotos abaixo)

“É realmente o começo de uma nova era”, disse o administrador associado da Nasa para a ciência, Thomas Zurbuchen, durante o webcast da agência espacial americana que mostrou a chegada do robô ao planeta.

O robô movido a energia nuclear tem a missão de trazer as primeiras amostras de rocha marciana – possivelmente incluindo fósseis alienígenas – de volta à Terra.

O rover, apelidado de “Percy” por seus engenheiros, foi lançado do Cabo Canaveral, Flórida, em julho, e viajou 300 milhões de milhas até Marte.

Na quinta-feira, a cápsula que transportava o Perseverance finalmente chegou na atmosfera marciana a cerca de 19.000 km / h, lançou um paraquedas de 21 metros de largura para diminuir sua queda e, em seguida, largou seu escudo térmico.

Isso deu às câmeras e ao sistema de radar do robô uma visão da paisagem.

Um sistema de navegação a bordo foi usado para encontrar um ponto de pouso seguro.

Logo após o pouso, foram postadas na conta no Twitter da sonda, as primeiras imagens registradas pela Perseverance no solo de Marte. (veja abaixo)

A equipe comemora o pouso Foto: New York Times
A equipe comemora o pouso Foto: New York Times

Veja as duas primeiras fotos:

"Olá Mundo. Meu primeiro olhar na minha casa eterna", escreveu a conta no Twitter da sonda Perseverance ao postar a primeira imagem registrada em Marte Foto: Twitter/ Reprodução
“Olá Mundo. Meu primeiro olhar na minha casa eterna”, escreveu a conta no Twitter da sonda Perseverance ao postar a primeira imagem registrada em Marte
Foto: Twitter/ Reprodução
 
"E outro olhar atrás de mim. Bem-vindos à cratera de Jezero", escreveu a conta da sonda ao postar a segunda imagem de Marte Foto: Twitter/ Reprodução
“E outro olhar atrás de mim. Bem-vindos à cratera de Jezero”, escreveu a conta da sonda ao postar a segunda imagem de Marte
Foto: Twitter/ Reprodução
 
Ilustração da cratera de Jezero onde o Perse pousou nesta quinta Foto: NASA
Ilustração da cratera de Jezero onde o Perse pousou nesta quinta Foto: NASA
 
Ilustração do robô Persevarance Foto: NASA
Ilustração do robô Persevarance Foto: NASA

Com informações da CNN e Business Insider

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados