Connect with us

BRASIL

Portela é a grande campeã do carnaval do Rio de Janeiro

Publicado

em

A escola de samba Portela é a grande campeã do Carnaval 2017 do Rio de Janeiro, quebrando um jejum de 33 anos sem títulos. Sob a batuta do carnavalesco Paulo Barros, a agremiação trouxe para a Sapucaí o enredo “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”, referência a uma canção de Paulinho da Viola, grande nome da escola. A Portela havia sido campeã pela última vez em 1984 e venceu em uma apuração carregada de emoção, disputando com a Mocidade Independente de Padre Miguel cada décimo das notas.

As escolas ficaram empatadas até o último quesito, enredo, definido como o critério de desempate na tarde desta quarta-feira. A Mocidade teve duas notas 9,9 e ficou em segundo lugar. A Portela venceu com 269,9 pontos e a Mocidade ficou um décimo atrás.

A escola de samba vencedora foi a penúltima a pisar no Sambódromo, na segunda-feira, e trouxe para a avenida histórias e mitos da água doce. A comissão de frente representava o fenômeno da piracema, com os componentes da escola vestidos como peixes que nadavam em direção à nascente. O carro abre-alas trouxe a águia, símbolo da escola, representando a fonte onde nasce o rio azul e branco, as cores da agremiação.

Em um show de criatividade, a escola ressaltou a importância dos rios para a humanidade e levou para a avenida um carro alegórico que lembrava a tragédia de Mariana, que afetou o Rio Doce. As coloridas alas representavam ainda a ocupação dos rios por civilizações antigas, seres que habitam as águas e a influência dos rios nas artes.

Apuração

Antes do início da apuração, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) anunciou que nenhuma escola do Grupo Especial seria rebaixada para o Grupo A neste ano, em solidariedade aos acidentes envolvendo carros alegóricos da Unidos da Tijuca e da Paraíso do Tuiuti. Cinco vítimas ainda permanecem internadas. A Unidos da Tijuca foi a única punida durante a apuração, perdendo um décimo por estourar o tempo de desfile.

Com a decisão a respeito do rebaixamento, treze escolas de samba irão desfilar na categoria principal em 2018 — as doze de 2017, mais uma promovida do Grupo A. No próximo ano, duas agremiações serão rebaixadas, reequilibrando os grupos.

 A Unidos da Tijuca e Paraíso do Tuiuti tiveram as piores notas em alegorias e adereços, possivelmente consequência dos acidentes. As duas escolas somaram 29,4 e 29,5 pontos, respectivamente, na soma dos quatro jurados, não obtendo nenhuma nota dez. No quesito evolução, as agremiações receberam também as piores avaliações, deixando-as nas posições finais da tabela. A Unidos da Tijuca marcou 29,4 pontos no quesito e a Unidos do Tuiuti, 29,2.

Critérios

A Liesa havia definido na tarde desta quarta-feira a ordem da leitura dos quesitos do Carnaval 2017 das escolas de samba do Rio de Janeiro. Enredo foi o principal critério de desempate e, como sempre, o quesito foi o último a ter suas notas apuradas na Praça da Apoteose.

A apuração das notas foi feita na seguinte ordem: alegorias e adereços, bateria, fantasia, samba-enredo, comissão de frente, evolução, harmonia, mestre-sala e porta-bandeira e enredo. Para o critério de desempate é considerada a ordem inversa da divulgação das notas, o que significa que, depois de enredo, os principais quesitos são mestre-sala e porta-bandeira, harmonia e assim, sucessivamente.

Além da ausência do rebaixamento, a apuração teve outra diferença em relação aos anteriores: em vez de quatro, seis jurados avaliaram cada quesito. Contudo, somente quatro notas foram válidas na apuração. Os reservas atribuíram notas que só seriam divulgadas e computadas na média total caso algum dos titulares tivesse algum problema e não fosse capaz de concluir sua avaliação.

Os jurados concedem as notas, que vão de nove a dez com o fracionamento de décimos, no dia do desfile, em envelopes lacrados e guardados pela Liesa. Estes envelopes só são abertos durante a apuração, na frente de representantes de todas as escolas.

Veja

Continue lendo
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

BRASIL

“Brasil é o maior laboratório a céu aberto do coronavírus”, diz Miguel Nicolelis

Publicado

em

Um dos cientistas brasileiros mais conceituados no mundo, Miguel Nicolelis desabafou em uma série de tuites na madrugada desta quarta-feira (24) e concluiu que atualmente o Brasil é o “maior laboratório a céu aberto onde se pode observar a dinâmica natural do coronavírus sem qualquer medida eficaz de contenção”.

“Neste momento, o Brasil é o maior laboratório a céu aberto onde se pode observar a dinâmica natural do coronavírus sem qualquer medida eficaz de contenção. Todo o mundo vai testemunhar a devastação épica q o SARS-CoV-2 pode causar qndo nada é feito de verdade p/ contê-lo”, afirmou.

 

Com 248.646 mortes pela Covid-19 até esta terça-feira (23) e 1.370 óbitos em 24 horas – o terceiro maior número desde o início da pandemia, o Brasil corre o risco de entrar em colapso sanitário “do Oiapoque ao Chuí”, segundo o cientista.

“Ou os políticos brasileiros aprendem rapidamente a pronunciar “lockdown”, ou todo BR vai entrar em colapso sanitário ao mesmo tempo. Do Oiapoque ao Chuí, governantes estão renunciando às suas responsabilidades de liderar e proteger a população. Não há mais nhm tempo a perder”.

Reportagem de Jamil Chade nesta quarta-feira no portal Uol revela que, segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o único país que não segue o rítmo de queda da pandemia no mundo.

De acordo com o informe epidemiológico da OMS, 2,4 milhões de novos casos foram registrados no mundo nos últimos sete dias, número 11% menor que na semana anterior. Em relação às mortes – 66 mil nos últimos sete dias – a queda foi de 20% em relação ao último levantamento.

BBB
Pelo Twitter, Nicolelis se mostrou espantado com “rojões” comemorando a eliminação de Karol Conká do BBB em meio à pandemia. “No Brasil a pandemia perdeu até pro BBB! Ao vencedor as batatas”, tuitou.

O cientista ainda traçou um paralelo ao massacre de Conká, que teve 99,17% dos votos pela eliminação, e o que se vê nos hospitais.

“No BR se celebra o fracasso alheio, a derrota esmagadora do “inimigo”. Se celebra a execução, mesmo que ela seja virtual ou simulada, e a derrota do time do outro; a “eliminação no paredão ”. No BR se solta rojão qndo alguém desaba e fica estatelado na calçada da vida, sem ar”, afirmou.

Brasil 247

Continue lendo

BRASIL

Campanha Lula Livre lança apelo público ao STF por julgamento da suspeição de Sergio Moro

Publicado

em

Acampanha Lula Livre lança nesta quarta-feira (24) uma plataforma criada para reivindicar que o STF julgue o habeas corpus que pede a anulação dos processos contra o ex-presidente Lula julgados por Sergio Moro.

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça, em conluio com procuradores da Operação Lava Jato, violou a lei e adotou procedimentos abusivos para perseguir e prender o ex-presidente Lula.

Ao entrar no site da campanha, o usuário poderá enviar automaticamente um texto para os endereços de email dos ministros da Corte.

Solicitamos que seja julgado imediatamente o Habeas Corpus (HC) 164493, por meio do qual a defesa do Sr Luiz Inácio Lula da Silva alega a suspeição do ex-juiz sr. Sérgio Moro para atuar nas ações penais abertas contra o ex-presidente da República perante a 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) e pede a nulidade de todos os atos processuais praticados pelo ex-magistrado

As conversas entre o ex-juiz Sergio Moro e os procuradores da Operação Lava Jato, obtidas pela Operação Spoofing, comprovam que Lula foi julgado por um juiz parcial, em um processo que não respeitou os princípios do devido processo legal e da presunção de inocência.

Pedimos que a 2ª Turma do STF julgue o quanto antes o HC, acate o pedido da defesa do Lula e, consequentemente e anule as sentenças proferidas e com participação do sr. Sérgio Moro na instrução processual, assim como dos casos conduzidos pelos procuradores da Operação Lava Jato. O caso é uma afronta à imparcialidade judicial, garantia mínima assegurada a todos os acusados pela Convenção Americana de Direitos Humanos de 1969 e pela Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948.

Passados sete anos desde a criação formal da Lava Jato, já existem provas para fazer o juízo de que houve um conluio entre a acusação e sr. Sérgio Moro, com a vontade antecipada de condenar Lula. Consequentemente, impedir o exercício dos seus direitos políticos, sobretudo, poder se candidatar nas eleições de 2018, o que coloca em dúvida a legitimidade dos resultados eleitorais que conduziram os atuais governantes.

O HC de suspeição do ex-juiz Moro deve ser acatado para que seja reconstruída a credibilidade do Poder Judiciário, para que o sr. Luiz Inácio Lula da Silva, assim como qualquer cidadão brasileiro, tenha um julgamento justo, imparcial e com as devidas garantias do Estado Democrático de Direito.

Fonte: Brasil 247

Continue lendo

Facebook

Publicidade

Copyright © 2020 Barra Portal - Todos os direitos reservados